domingo, 28 de março de 2010

Ninguém foge a lei da reencarnação (Chico Xavier por Emmanuel)



Ninguém foge a lei da reencarnação.

ONTEM, atraiçoamos a confiança de um companheiro, induzindo-o à derrocada moral. HOJE, guardâmo-lo na condição do parente difícil, que nos pede sacrifício incessante.

ONTEM, abandonamos a jovem que nos amava, inclinando-a ao mergulho na lagoa do vício. HOJE, têmo-la de volta por filha incompreensiva, necessitada do nosso amor.

ONTEM, colocamos o orgulho e a vaidade no peito de um irmão que nos seguia os exemplos menos felizes. HOJE, partilhamos com ele, à feição de esposo despótico ou de filho-problema, o cálice amargo da redenção.

ONTEM, esquecemos compromissos veneráveis, arrastando alguém ao suicídio. HOJE, reencontramos esse mesmo alguém na pessoa de um filhinho, portador de moléstia irreversível, tutelando-lhe, à custa de lágrimas, o trabalho de reajuste.

ONTEM, abandonamos a companheira inexperiente, à míngua de todo auxílio, situando-a nas garras da delinqüência. HOJE, achâmo-la ao nosso lado, na presença da esposa conturbada e doente, a exigir-nos a permanência no curso infatigável da tolerância.

ONTEM, dilaceramos a alma sensível de pais afetuosos e devotados, sangrando-lhes o espírito, a punhaladas de ingratidão. HOJE, moramos no espinheiro, em forma de lar, carregando fardos de angústia, a fim de aprender a plantar carinho e fidelidade.

À frente de toda dificuldade e de toda prova, abençoa sempre e faze o melhor que possas.

Ajuda aos que te partilham a experiência, ora pelos que te perseguem, sorri para os que te ferem e desculpa todos aqueles que te injuriam...

A humildade é a chave de nossa libertação.

E, sejam quais sejam os teus obstáculos na família, é preciso reconhecer que toda construção moral do Reino de Deus, perante o mundo, começa nos alicerces invisíveis da luta em casa.


Autor: Chico Xavier
Da obra: Amor e Vida em Família. Ditado pelo Espírito Emmanuel. 1995.

A sua irritação não solucionará problema algum (Chico Xavier)



A sua irritação não solucionará problema algum...
As suas contrariedades não alteram a natureza das coisas...
Os seus desapontamentos não fazem o trabalho que só o tempo conseguirá realizar.
O seu mau humor não modifica a vida...
A sua dor não impedirá que o sol brilhe amanhã sobre os bons e os maus...
A sua tristeza não iluminará os caminhos...
O seu desânimo não edificará ninguém...
As suas lágrimas não substituem o suor que você deve verter em benefício da sua própria felicidade...
As suas reclamações, ainda mesmo afetivas, jamais acrescentarão nos outros um só grama de simpatia por você...
Não estrague o seu dia.
Aprenda a sabedoria divina,
A desculpar infinitamente, construindo e reconstruindo sempre...
Para o infinito bem!

Autor: Chico Xavier

Nasceste no lar que precisavas (Chico Xavier)




Nasceste no lar que precisavas,
Vestiste o corpo físico que merecias,
Moras onde melhor Deus te proporcionou, de acordo com teu adiantamento.

Possuis os recursos financeiros coerentes com as tuas necessidades, nem mais, nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas.

Teu ambiente de trabalho é o que elegeste espontaneamente para a tua realização.

Teus parentes, amigos são as almas que atraístes, com tua própria afinidade.

Portanto, teu destino está constantemente sob teu controle.

Tu escolhes, recolhes, eleges, atrais, buscas, expulsas, modificas tudo aquilo que te rodeia a existência.

Teus pensamentos e vontades são a chave de teus atos e atitudes... São as fontes de atração e repulsão na tua jornada vivência.

Não reclames nem te faças de vítima. Antes de tudo, analisa e observa. A mudança está em tuas mãos. Reprograma tua meta, busque o bem e viverás melhor.

"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim".

Autor: Chico Xavier

quarta-feira, 24 de março de 2010

Tendências: Reflexos do passado (A. Merci Spada Borges)




A reencarnação não apaga as experiências adquiridas no pretérito; apenas as encobre com o véu do esquecimento, a fim de que o indivíduo possa prosseguir, sem interferências diretas, a sua jornada evolutiva. Na busca constante de novos conhecimentos, o Espírito completará o seu aprendizado ao longo das eras.

O ser humano, a cada encarnação, enfrentará as vicissitudes que definirão o seu aprimoramento. Se bem-sucedido, incorporará novas conquistas; se derrotado, árduas lutas se travarão entre os verdadeiros e falsos valores incorporados.

Jesus apresenta ao homem a fórmula segura para alcançar os seus objetivos sem tombar pelos atalhos:

“Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela. [...]

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no Reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus”. (Mateus, 7:13 e 21.)

Portanto, todo aquele que direciona a vontade pelos caminhos do estudo, do trabalho digno, do respeito a Deus e aos semelhantes, consegue enriquecer o espírito de bens perenes. Estes bens são conquistas que o tempo jamais apagará.

Experiências adquiridas ficam impressas nos arquivos mentais do Espírito e acompanham-no ao longo das reencarnações, razão pela qual a criança revela tendências incompreensíveis àqueles que desconhecem as leis da reencarnação. De tempos em tempos a mídia revela crianças-prodígio que apresentam o dom da música e se identificam com certos instrumentos sem qualquer aprendizado anterior. Outras encontram tanta intimidade com os números a ponto de realizar cálculos impossíveis de se conceber na faixa etária em que se encontram. Não é raro observar crianças mal saídas do berço que já revelam tendências agressivas e paixão por armas. São tendências que demonstram seu cabedal de experiências adquiridas em outras vidas. Algumas delas se manifestam logo na primeira idade; enquanto outras podem vir à tona em momentos marcantes da vida. Os pais, geralmente, assistem, atônitos, a seus adoráveis rebentos revelarem caráter agressivo ou dócil; confiante ou temeroso; obediente ou revoltado; amoroso ou arredio. Se os genitores apresentam traços semelhantes, certamente se convencerão de que a virtude ou a falha moral, que se manifesta no seu descendente, é de origem hereditária. Daí se ouvir certos refrões: “Aquele menino puxou o gênio do pai, ou a inteligência da mãe”; “Aquele outro tem a agressividade do seu avô”. Há características que em nada se assemelham às dos seus familiares.

O Espiritismo faz luz sobre a diferença entre a hereditariedade e as tendências inatas. Assim, os traços físicos que se assemelham aos dos familiares, como a cor dos olhos, da pele, dos cabelos; compleição física e outros tantos traços, próprios do corpo carnal, pertencem à lei da hereditariedade, pois sua origem está nos elementos biológicos herdados de seus antecessores, os quais compõem a vestimenta material. No entanto, se a criança apresenta deficiências físicas, congênitas ou, até certo ponto, adquiridas, não se pode dizer que são heranças biológicas e sim os reflexos atuais de mazelas que foram armazenadas em vidas anteriores, pelo Espírito que reencarna para cumprir expiação voluntária ou compulsória, a fim de quitar seus débitos com a lei. Entretanto, a hereditariedade pode colaborar para que a lei se cumpra.

As características psicológicas inatas não são heranças que se transmitem de pais para filhos. São, sim, conseqüências de créditos ou débitos adquiridos pelo Espírito em encarnações precedentes. Determinadas tendências que caracterizam o indivíduo podem apresentar semelhanças com as apresentadas por seus genitores. Todavia, se esses traços não foram adquiridos nesta vida, pelos veículos da educação ou do exemplo, certamente se explicam pelas leis da reencarnação. Os dons semelhantes se revelam pela afinidade existente entre famílias espirituais. Há grupos que partilharam, em outras vidas, ou no plano espiritual, experiências afins. Assim, um ou mais membros de uma mesma família podem ter vivenciado situações pretéritas em que todos ou parte deles perpertenceram à mesma família, mesma região, ou participaram de organizações científicas, religiosas, artísticas, profissionais, políticas, que lhes propiciaram tendências semelhantes. Um outro grupo familiar pode se identificar com guerreiros , desordeiros, viciosos com os quais conviveram no passado.

A infância é, portanto, o período apropriado para se reforçar as tendências boas e desfazer as infelizes. E os pais que amam seus filhos não possuem instrumento melhor para educá-los senão o Evangelho, complementado pela disciplina e hábitos saudáveis. Este é o mecanismo para a educação moral do ser em formação.

O insigne Codificador expõe o processo educativo ideal:

“[...] Há um elemento, [...] sem o qual a ciência econômica não passa de simples teoria. Esse elemento é a educação, não a educação intelectual, mas a educação moral. Não nos referimos, porém, à educação moral pelos livros e sim à que consiste na arte de formar os caracteres, à que incute hábitos, porquanto, a educação é o conjunto dos hábitos adquiridos. [...]”. (O Livro dos Espíritos, questão 685, comentário de Kardec.)

É importante ressaltar que o renascimento não ocorre aleatoriamente, há sempre uma programação com finalidade útil para o Espírito renascente. Portanto, reencarnar não tem por objetivo único cumprir provas e expiações, mas, sobretudo, promover o crescimento do Espírito. Quanto maior o crédito acumulado, mais curto se torna o caminho que conduz aos ideais superiores. Daí a responsabilidade dos pais de investir na educação, no aprimoramento moral dos filhos, ainda no período infantil, a fim de que a reencarnação deles seja proveitosa. Esse é o caminho para que o Espírito cresça de conformidade com os padrões morais evangélicos e, no momento aprazado, retorne à vida espiritual com o futuro consolidado nas leis divinas.

A Doutrina Espírita, alicerçada no Evangelho de Jesus, propõe ao homem o trabalho constante de sua escultura moral.

Aceitar a hereditariedade como causa das insuficiências morais é duvidar da Justiça Divina. A lei da reencarnação é a expressão mais justa da misericórdia do Criador para com suas criaturas. É a oportunidade de desfazer enganos e apagar delitos; de refazer amizades e ampliar vínculos no equilíbrio de energias afins; de se reconstruir o que se destruiu em existências anteriores. É oportunidade de crescer. Afirma Kardec: Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más.
(O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XVII, item 4.)

Esse é o objetivo primordial da reencarnação. É importante que o ser humano se conscientize de que nenhuma educação, nenhuma aquisição moral se efetiva sem perseverança, sem esforço, sem Evangelho. A conquista da luz interior só se alcança com muito suor e lágrimas.

Jesus legou ao homem o mais perfeito roteiro de vida: o seu Evangelho, programado para se projetar futuramente no Consolador, que floresceu na Doutrina Espírita. É preciso valorizar esse tesouro.

Para o Espírito recalcitrante, cujos instrumentos educacionais não surtem o efeito desejado, um outro se apresenta infalível: a dor.

Nesse mecanismo de conquistas e aquisições, ou quedas e sofrimentos, de acordo com as leis da vida, a hereditariedade pode colaborar para a realização desse feito. Assim, o conjunto de hábitos morais e intelectuais, adquiridos e aprimorados por uma educação bem direcionada, se agregarão às tendências inatas arquivadas ao longo do carreiro evolutivo, e jamais se perderão com a desintegração da matéria.

Um físico saudável é benesse adquirida em vivências de equilíbrio e respeito à veste carnal, enquanto que um corpo doente reflete os abusos e vícios cultivados. É, pois, a lei da hereditariedade que faculta esta tarefa. Uma mente prodigiosa revela as conquistas encetadas ao longo de muitas encarnações. Porém, somente um Espírito evangelizado irradiará a paz das conquistas sedimentadas nos celeiros de obras realizadas em sincronia com as leis divinas.

Esta realidade, revelada pela Doutrina dos Espíritos, é o cerne da semente plantada pelo Divino Lavrador.

Autoria: (A. Merci Spada Borges)

Reencarnação (O Evangelho Segundo o Espiritismo)




“[...]Quando Jesus pronunciou a divina palavra – amor, os povos sobressaltaram- se e os mártires, ébrios de esperança, desceram ao circo.

O Espiritismo a seu turno vem pronunciar uma segunda palavra do alfabeto divino. Estai atentos, pois que essa palavra ergue a lápide dos túmulos vazios, e a reencarnação, triunfando da morte, revela às criaturas deslumbradas o seu patrimônio intelectual. Já não é ao suplício que ela conduz o homem: condu-lo à conquista do seu ser, elevado e transfigurado.”

LÁZARO (PARIS, 1862)*

Uma das mais graves situações que o ser humano vivencia em nossa época, marcada pela insegurança e pela instabilidade, é a falta de respostas às suas dúvidas: o que sou?, de onde vim?, para onde vou?, o que faço aqui na Terra?, qual o sentido da existência humana?... São questões a que o materialismo, assim como as doutrinas espiritualistas que admitem apenas uma única existência, não conseguem responder.

O Espiritismo, porém, desde a metade do século XIX, nos esclarece, assentado em fatos submetidos ao crivo da razão, a realidade da multiplicidade das existências físicas, já registrada no Velho e no Novo Testamentos, e que proporciona ao Espírito imortal as oportunidades de crescimento e aprimoramento intelectual e moral.

Independentemente de qualquer revelação espiritual, os fatos não deixam dúvidas a respeito desta verdade. Eles ocorrem com pessoas sem nenhuma convicção religiosa ou espiritualista, obrigando-as a reformulações relacionadas com suas convicções próprias diante de realidades por elas vividas, conforme relatos que constam desta edição de Reformador.

Estudiosos, voltados às pesquisas científicas, já reúnem um número avassalador de fatos levantados, comprobatórios da reencarnação. Da mesma forma, psicólogos e psiquiatras, sem nenhuma vinculação religiosa, já se utilizam, com resultados altamente positivos, das terapias de vivências passadas, buscando, em reencarnações anteriores, as causas das patologias encontradas em seus pacientes na presente existência.

Isto tudo deixa claro que a reencarnação não é apenas uma proposta teórica, filosófica ou religiosa, mas um fato científico constatado, utilizado e vivenciado no nosso dia-a-dia.

Autor: Allan Kardec.
Fonte: Evangelho segundo o Espiritismo. 126. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2006. Cap. XI, item 8.

domingo, 21 de março de 2010

Depende de mim (Charles Chaplin)




"Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia-noite.

É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.

Posso reclamar porque está chovendo... ou agradecer às águas por lavarem a poluição.

Posso ficar triste por não ter dinheiro... ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.

Posso reclamar sobre minha saúde... ou dar graças por estar vivo.

Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria.... ou posso ser grato por ter nascido.

Posso reclamar por ter que ir trabalhar... ou agradecer por ter trabalho.

Posso sentir tédio com as tarefas da casa... ou agradecer a Deus por ter um teto para morar.

Posso lamentar decepções com amigos... ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.

Se as coisas não saíram como planejei, posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar. O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser.

E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma.

Tudo depende só de mim."


Autor: Charles Chaplin

sábado, 20 de março de 2010

Sonhe (Shakespeare)




“Há quem diga que todas as noites são de sonhos. Mas há também quem garanta que nem todas... só as de verão. Mas, no fundo, isso não tem muita importância. O que interessa mesmo não são as noites em si, mas os sonhos. Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado”.

Autor: Shakespeare

Cicatrizes



Num dia caloroso de verão no sul da Florida, um garoto decidiu ir nadar no lago atrás de sua casa.

Saiu correndo pela porta traseira, se jogou na água e ficou nadando feliz.

Sua mãe desde a casa olhava pela janela, e viu com horror o que estava acontecendo.

Em seguida correu atrás de seu filho gritando o mais forte que podia. Ouvindo a mãe, o menino se tocou, olhou e foi nadando ate ela. Porém era tarde, muito tarde.

A mãe conseguiu agarrar o menino pelos braços justo quando o animal agarrava suas pernas. A mulher lutava determinada, com toda a força do seu coração.

O crocodilo era mais forte, mas a mãe era muito mais apaixonada e seu amor não a abandonava. Um senhor que escutou os gritos correu para o lugar com uma pistola e matou o crocodilo.

O menino sobreviveu e, ainda que suas pernas tenham sofrido bastante, ele pôde voltar a caminhar. Quando saiu do trauma, um enfermeiro lhe perguntou se ele queria mostrar as cicatrizes das suas pernas.

O menino levantou o lençol e mostrou ao rapaz.

Então, com grande orgulho e arregaçando as mangas ele disse: “Mas as que você deve ver são estas".

Eram as marcas das unhas da sua mãe que haviam pressionado  com força sua pele.

“As tenho porque mamãe não me soltou e salvou minha vida".

Moral da Historia: Nos também temos cicatrizes de um passado doloroso.

Algumas foram causadas por nossos pecados, por pequenas ou grandes falhas, por desobediência, porem algumas foram das unhas de Deus que nos segurou com força para que não caíssemos nas garras do mal.

Deus te abençoe sempre...

mas lembra que se alguma vez doeu tua alma, foi porque Deus te agarrou bem forte para que não caísses. Agora tens 2 opções: apagar este e-mail, ou enviar a todos teus amigos.

Lembra que se tiveres vergonha de Deus, ele também terá vergonha de ti...

(Autor Desconhecido)

A Ostra e a Pérola



“Uma ostra que não foi ferida não produz pérolas"...

Pérolas são produtos da dor; resultados da entrada de uma substância estranha ou indesejável no interior da ostra, como um parasita ou um grão de areia.

Na parte interna da concha é encontrada uma substância lustrosa chamada NÁCAR. Quando um grão de areia a penetra, as células do NÁCAR começam a trabalhar e cobrem o grão de areia com camadas e mais camadas, para proteger o corpo indefeso da ostra.

Como resultado, uma linda pérola vai se formando. Uma ostra que não foi ferida, de algum modo, não produz pérolas, pois a pérola é uma ferida cicatrizada...

Você já se sentiu ferido pelas palavras rudes de alguém?

Já foi acusado de ter dito coisas que não disse?

Suas idéias já foram rejeitadas, ou mal interpretadas?

Você já sofreu os duros golpes na vida?

Já recebeu o troco da indiferença?

Então, produza uma pérola!

Cubra suas mágoas e dores com várias camadas de amor. Infelizmente, são poucas as pessoas que se interessam
por esse tipo de movimento. A maioria aprende apenas a cultivar ressentimentos, deixando as feridas abertas, alimentando-as com vários tipos de sentimentos pequenos e, portanto, não permitindo que cicatrizem.

Assim, na prática, o que vemos são muitas "Ostras Vazias”, não porque não tenham sido feridas, mas, porque não souberam perdoar, compreender e transformar a dor em amor.

Você pode agir de maneira sábia e transformar suas Feridas em Pérolas! É um processo doloroso no início, mas recompensador no resultado final.

(Autor Desconhecido)

Vocabulário da Vida




Adeus: É quando o coração que parte deixa a metade com quem fica.

Amigo: É alguém que fica para ajudar quando todo mundo se afasta.

Amor ao próximo: É quando o estranho passa a ser amigo que ainda não abraçamos.

Caridade: É quando a gente está com fome, só tem uma bolacha e reparte.

Carinho: É quando a gente não encontra nenhuma palavra para expressar o que sente e fala com as mãos, colocando o fago em caca dedo.

Ciúme: É quando o coração fica apertado porque confia em si mesmo.

Cordialidade: É quando amamos muito uma pessoa e tratamos todo mundo da maneira que o tratamos.

Doutrinação: É quando a gente conserva o espírito colocando o coração em cada palavra.

Entendimento: É quando um velhinho caminha devagar na nossa frente e a gente estando apressado não reclama.

Evangelho: É um livro que só se lê bem com o coração.

Evolução: É quando a gente está lá na frente e sente vontade de buscar quem ficou para trás.

Fé: É quando a gente diz que vai escalar um everest e o coração já o considera feito.

Filhos: É quando deus entrega a jóia em nossa mão e recomenda cuidá-la.

Fome: É quando o estômago manda um pedido para a boca e ela silencia.

Inimizade: É quando a gente empurra a linha do afeto para bem distante.

Inveja: É quando a gente ainda não descobriu que pode ser mais e melhor do que o outro.

Lealdade: É quando a gente prefere morrer que trair a quem ama.

Lágrima: É quando o coração pede aos olhos que falem por ele.

Mágoa: É um espinho que a gente coloca no coração e se esquece de retirar.

Maldade: É quando arrancamos as asas do anjo que deveríamos ser.

Mediunidade de Jesus: É quando a gente serve de instrumento em uma comunidade mediúnica e a música tocada parece em noturno de chopin.

Morte: Quer dizer viagem, transferência ou qualquer coisa com cheiro de eternidade.

Netos: É quando deus tem pena dos avós e manda anjos para alegrá-los.

Obsessor: É quando o espírito adoece, manda embora e compaixão e convida a vingança para morar com ela.

Ódio: É quando plantamos trigo o ano todo e estando os pendões maduros a gente queima tudo em um dia.

Orgulho: é quando a gente é uma formiga e quer convencer os outros de que é um elefante.

Paz: É o prêmio de quem cumpre o dever.

Perdão: é uma alegria que a gente se dá e que pensava que jamais a teria.

Perfume: É quando mesmo de olhos fechados a gente reconhece quem nos faz feliz.

Pessimismo: É quando a gente perde a capacidade de ver em cores.

Preguiça: É quando entra vírus na coragem e ela adoece.

Raiva: É quando colocamos uma muralha no caminho da paz.

Reencarnação: É quando a gente volta para o corpo, esquecido do que faz, para se lembrar do que ainda não fez.

Saudade: É estando longe, sentir vontade de voar, e estando perto, querer parar o tempo.

Sexo: É quando a gente ama tanto que tem vontade de morar dentro do outro.

Simplicidade: É o comportamento de quem começa a ser sábio.

Sinceridade: É quando nos expressamos como se o outro estivesse do outro lado do espelho.

Solidão: É quando estamos cercado por pessoas, mas o coração não vê ninguém por perto.

Supérfuo: É quando a nossa sede precisa de um gole de água e a gente pede um rio inteiro.

Ternura: É quando alguém nos olha e os olhos brilham como duas estrelas.

Vaidade: É quando a gente abdica da nossa essência por outra, geralmente pior.



Autor: Luis Gonzaga Pinheiro

Tempo que foge! (Ricardo Gondim)




Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados. Não tolero gabolices. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para projetos megalomaníacos. Não participarei de conferências que estabelecem prazos fixos para reverter a miséria do mundo. Não vou mais a workshops onde se ensina como converter milhões usando uma fórmula de poucos pontos. Não quero que me convidem para eventos de um fim-de-semana com a proposta de abalar o milênio.

Já não tenho tempo para reuniões intermináveis para discutir estatutos, normas, procedimentos parlamentares e regimentos internos. Não gosto de assembléias ordinárias em que as organizações procuram se proteger e perpetuar através de infindáveis detalhes organizacionais.

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos. Não quero ver os ponteiros do relógio avançando em reuniões de “confrontação”, onde “tiramos fatos à limpo”. Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário do coral.

Já não tenho tempo para debater vírgulas, detalhes gramaticais sutis, ou sobre as diferentes traduções da Bíblia. Não quero ficar explicando porque gosto da Nova Versão Internacional das Escrituras, só porque há um grupo que a considera herética. Minha resposta será curta e delicada: - Gosto, e ponto final! Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou: “As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos”. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos.

Já não tenho tempo para ficar dando explicação aos medianos se estou ou não perdendo a fé, porque admiro a poesia do Chico Buarque e do Vinicius de Moraes; a voz da Maria Bethânia; os livros de Machado de Assis, Thomas Mann, Ernest Hemingway e José Lins do Rego.

Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita para a “última hora”; não foge de sua mortalidade, defende a dignidade dos marginalizados, e deseja andar humildemente com Deus. Caminhar perto dessas pessoas nunca será perda de tempo.

Autor: Ricardo Gondim

sexta-feira, 19 de março de 2010

21 coisas para lembrar... (Dalai Lama)




Nunca esqueça que existem quatro coisas na vida que não se recuperam :
A pedra - depois de atirada;
A palavra - depois de proferida;
A ocasião - depois de perdida:
O tempo - depois de passado

1. Dê mais às pessoas do que elas esperam e faça-o com alegria.
2. Case com alguém com quem goste de conversar. À medida que forem envelhecendo, o seu talento para a conversa tornar-se-á tão importante quanto as outras coisas.
3. Não acredite em tudo o que ouve. Não gaste tudo o que tem. Não durma tanto quanto gostaria.
4. Quando disser "amo-te", seja sincero.
5. Quando disser "desculpe” olhe nos olhos da pessoa.
6. Fique noivo pelo menos durante seis meses antes do casamento.
7. Acredite no amor à primeira vista.
8. Nunca ria dos sonhos dos outros. Quem não tem sonhos tem muito pouco.
9. Ame profundamente e com paixão, podemos nos magoar, mas é o único meio de viver uma vida completa.
10. Quando se chatear, não grite e por favor, nada de insultos.
11. Não julgue ninguém pelos seus parentes.
12. Fale devagar, mas pense depressa.
13. Quando lhe fizerem uma pergunta que não quer responder, sorria e pergunte: "Porque quer saber isso?"
14. Lembre-se que grandes amores e grandes realizações envolvem grandes riscos.
15. Quando alguém espirrar, diga "saúde".
16. Quando você perder algo, não perca a lição.
17. Recorde-se dos três "R": Respeito por si mesmo, Respeito pelos outros, Responsabilidade pelos seus atos.
18. Não deixe que uma pequena disputa afetar uma grande amizade.
19. Quando errar, tome providências imediatas para corrigir esse erro.
20. Sorria quando atender ao telefone. Quem está do outro lado vai percebê-lo na sua voz.
21. Passe algum tempo sozinho e reflita.

Autor: Dalai Lama

terça-feira, 16 de março de 2010

Palavras




Não diga as coisas com pressa. Mais vale um silêncio certo que uma palavra errada. Demora naquilo que você precisa dizer. Livre-se da pressa de querer dar ordens ao mundo.

É mais fácil a gente se arrepender de uma palavra que de um silêncio.

Palavra errada, na hora errada, pode se transformar em ferida naquele que disse, e também naquele que ouviu. Em muitos momentos da vida o silêncio é a resposta mais sábia que podemos dar a alguém.

Por isso, prepara bem a palavra que será dita. Palavras apressadas não combinam com sabedoria. Os sábios preferem o silêncio. E nos seus poucos dizeres está condensada uma fonte inesgotável de sabedoria.

Não caia na tentação do discurso banal, da explicação simplória. Queira a profundidade da fala que nos pede calma. Calma para dizer, calma para ouvir.
Hoje, neste tempo de palavras muitas, queiramos a beleza dos silêncios poucos.

Autor: Fabio de Melo

45 lições que a vida me ensinou (Regina Brett)




Escrito por Regina Brett, 90 anos de idade, em The Plain Dealer, Cleveland , Ohio

"Para celebrar o meu envelhecimento, certo dia eu escrevi as 45 lições que a vida me ensinou. É a coluna mais solicitada que eu já escrevi." Meu hodômetro passou dos 90 em agosto, portanto aqui vai a coluna mais uma vez:

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.

2. Quando estiver em dúvida, dê somente, o próximo passo, pequeno.

3. A vida é muito curta para desperdiçá-la odiando alguém.

4. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Permaneça em contato.

5. Pague mensalmente seus cartões de crédito.

6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.

7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.

8. É bom ficar bravo com Deus. Ele pode suportar isso.

9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.

10. Quanto a chocolate, é inútil resistir.

11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.

12. É bom deixar suas crianças verem que você chora.

13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles.

14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar nele.

15. Tudo pode mudar num piscar de olhos. Mas não se preocupe; Deus nunca pisca.

16. Respire fundo. Isso acalma a mente.

17. Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre.

18. Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.

19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por sua conta e ninguém mais.

20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.

21. Acenda as velas, use os lençóis bonitos, use lingerie chic. Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.

22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com o fluxo.

23. Seja excêntrico(a) agora. Não espere pela velhice para vestir roxo.

24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.

25. Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você..

26. Enquadre todos os assim chamados "desastres" com estas palavras 'Em cinco anos, isto importará?'

27. Sempre escolha a vida.

28. Perdoe tudo de todo mundo.

29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.

30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo.

31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.

32. Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.

33. Acredite em milagres.

34. Deus ama você porque ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que você fez ou não fez.

35. Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.

36. Envelhecer ganha da alternativa -- morrer jovem.

37. Suas crianças têm apenas uma infância.

38. Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.

39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.

40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os outros como eles são, nós pegaríamos nossos mesmos problemas de volta.

41. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.

42. O melhor ainda está por vir.

43. Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.

44. Produza!

45. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente.

quinta-feira, 11 de março de 2010

A Fé Humana e a Divina (O Evangelho Segundo o Espiritismo)




12. No homem, a fé é o sentimento inato de seus destinos futuros; é a consciência que ele tem das faculdades imensas depositadas em gérmen no seu íntimo, a princípio em estado latente, e que lhe cumpre fazer que desabrochem e cresçam pela ação da sua vontade.

Até ao presente, a fé não foi compreendida senão pelo lado religioso, porque o Cristo a exalçou como poderosa alavanca e porque o têm considerado apenas como chefe de uma religião. Entretanto, o Cristo, que operou milagres materiais, mostrou, por esses milagres mesmos, o que pode o homem, quando tem fé, isto é, a vontade de querer e a certeza de que essa vontade pode obter satisfação. Também os apóstolos não operaram milagres, seguindolhe o exemplo? Ora, que eram esses milagres, senão efeitos naturais, cujas causas os homens de então desconheciam, mas que, hoje, em grande parte se explicam e que pelo estudo do Espiritismo e do Magnetismo se tornarão completamente compreensíveis?

A fé é humana ou divina, conforme o homem aplica suas faculdades à satisfação das necessidades terrenas, ou das suas aspirações celestiais e futuras. O homem de gênio, que se lança à realização de algum grande empreendimento, triunfa, se tem fé, porque sente em si que pode e há de chegar ao fim colimado, certeza que lhe faculta imensa força. O homem de bem que, crente em seu futuro celeste, deseja encher de belas e nobres ações a sua existência, haure na sua fé, na certeza da felicidade que o espera, a força necessária, e ainda aí se operam milagres de caridade, de devotamento e de abnegação. Enfim, com a fé, não há maus pendures que se não chegue a vencer.

O Magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação. É pela fé que ele cura e produz esses fenômenos singulares, qualificados outrora de milagres.

Repito: a fé é humana e divina. Se todos os encarnados se achassem bem persuadidos da força que em si trazem, e se quisessem pôr a vontade a serviço dessa força, seriam capazes de realizar o a que, até hoje, eles chamaram prodígios e que, no entanto, não passa de um desenvolvimento das faculdades humanas. Um Espírito Protetor. (Paris, l863.)

Fonte: O Evangelho Segundo o Espiritismo

terça-feira, 9 de março de 2010

Estamos com Fome de Amor! (Arnaldo Jabor)



Uma vez Renato Russo disse com uma sabedoria ímpar: "Digam o que disserem, o mal do século é a solidão".

Parem pra notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos os dias. Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas e saem sozinhas.

Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos. Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos "personal dance", incrível. E não é só sexo não, se fosse, era resolvido fácil, alguém duvída?

Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão "apenas" dormirem abraçados, sabe essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega.

Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção. Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a "sentir", só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós. Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada no site de relacionamentos ORKUT, o número de comunidades como: "Quero um amor pra vida toda!", "Eu sou pra casar!" até a desesperançada "Nasci pra ser sozinho!" Unindo milhares ou melhor milhões de solitários em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis.

Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a cada dia mais belos e mais sozinhos. Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa.

Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, demodê, brega. Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, abobalhados, e daí? Seja ridículo, não seja frustrado, "pague mico", saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso à dois.

Quem disse que ser adulto é ser ranzinza, um ditado tibetano diz que se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele.

Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é out, que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: "vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida".

Antes idiota que infeliz!

Autor: Arnaldo Jabor

domingo, 7 de março de 2010

Citações do livro “O vendedor de sonhos” de Augusto Cury




"Sem sonhos, os monstros que nos assediam, estejam eles alojados em nossa mente ou no terreno social, nos controlarão.

O objetivo fundamental dos sonhos não é o sucesso, mas nos livrar do fantasma do conformismo.

Quem não é generoso consigo mesmo jamais o será com os outros. Quem cobra muito de si mesmo é um carrasco dos outros.

A generosidade é um dos maiores sonhos que devemos difundir no grande “caos social”.

Generosidade é uma palavra que habita os dicionários, mas raramente o coração psíquico.

Só dorme bem quem aprende primeiramente a repousar dentro de si.

É possível fugir dos monstros de fora, mas não dos que temos dentro da mente.

Os egoístas vivem no calabouço das suas angústias, mas os que atuam na dor dos outros aliviam a própria dor.

Sou apenas um caminhante que perdeu o medo de se perder.

Os que vendem sonhos são como o vento: você ouve a sua voz, mas não sabe de onde ele vem e nem para onde vai.

O importante não é o mapa, mas a caminhada.

Não existem heróis. Todo gigante encontra obstáculos que o transformam em criança.

Se quiserem vender o sonho da solidariedade, terão de aprender a enxergar as lágrimas nunca choradas, as angústias nunca verbalizadas, os temores que nunca contraíram os músculos da face.

Nunca procurei meu filho e lhe perguntei quais eram seus temores ou suas mais marcantes frustações.

Impus regras para eles, lhe apontei erros, mas jamais vendi sonhos de que sou um ser humano que precisa conhecê-lo e precisa ser amado por ele.

Nunca procurei um aluno que expressasse um ar de tristeza, irritabilidade ou indiferença.

Mas a vida me ensinou...

Somos criativos em excluir, mas inábeis em incluir.

Começamos a entender que, quando somos frágeis, aí é que nos tornamos fortes.

Não existem pessoas imprestáveis, mas pessoas mal valorizadas, mal utilizadas, mal exploradas.

O ser humano morre não quando seu coração deixa de pulsar, mas quando de alguma forma deixa de se sentir importante.

Aprenda que uma pessoa pode ferir seu corpo, mais jamais poderá ferir sua emoção, a não ser que você permita.

A vida se extingue rapidamente no parêntese do tempo. Vivê-la lenta e deslumbradamente é o grande desafio dos mortais."


Citações do livro “O vendedor de sonhos” de Augusto Cury

Mutantes (Deepak Chopra)




"Somos as únicas criaturas na face da terra capazes de mudar nossa biologia pelo que pensamos e sentimos! Nossas células estão constantemente bisbilhotando nossos pensamentos e sendo  modificados por eles. Um surto de depressão pode arrasar seu sistema imunológico; apaixonar-se, ao contrário, pode fortificá-lo tremendamente.

A alegria e a realização nos mantém saudáveis e prolongam a vida. A recordação de uma situação estressante, que não passa de um fio de pensamento, libera o mesmo fluxo de hormônios destrutivos que o estresse.

Suas células estão constantemente processando as experiências e metabolizando-as de acordo com seus pontos de vista pessoais.

Não se pode simplesmente captar dados brutos e carimbá-los com um julgamento.

Você se transforma na interpretação quando a internaliza.

Quem está deprimido por causa da perda de um emprego projeta tristeza por toda parte no corpo – a produção de neurotransmissores por parte do cérebro reduz-se, o nível de hormônios baixa, o ciclo de sono é interrompido, os receptores neuropeptiídicos na superfície externa das células da pele tornam-se distorcidos, as plaquetas sanguíneas ficam mais viscosas e mais propensas a formar grumos e até suas lágrimas contêm traços químicos diferentes das lágrimas de alegria.  

Todo este perfil bioquímico será drasticamente alterado quando a pessoa encontra uma nova posição. Isto reforça a grande necessidade de usar nossa consciência para criar os corpos que realmente desejamos.

A ansiedade por causa de um exame acaba passando, assim como a depressão por causa de um emprego perdido.

O processo de envelhecimento, contudo, tem que ser combatido a cada dia.

Shakespeare não estava sendo metafórico quando Próspero disse: “Nós somos feitos da mesma matéria dos sonhos.”

Você quer saber como está seu corpo hoje? Lembre-se do que pensou ontem.

Quer saber como estará seu corpo amanhã?
Olhe seus pensamentos hoje!”  

Ou você abre seu coração,
ou algum cardiologista o fará por você!” 

Autor: Deepak Chopra

quinta-feira, 4 de março de 2010

Precisamos uns dos outros




Havia uma garotinha que gostava de passear pelos jardins, quando um dia vê uma borboleta espetada em um espinho.

Muito cuidadosamente ela a solta e a borboleta começa a voar para longe.
De repente, ela volta e lhe diz:
- Por sua bondade, vou conceder-lhe seu maior desejo.

A garotinha pensou por um momento e replicou:
- Quero ser feliz.

A borboleta inclinou-se até ela e sussurrou algo em seu ouvido e desapareceu subitamente. A garota crescia e ninguém na terra era mais feliz do que ela. Sempre que alguém lhe perguntava sobre o segredo de sua felicidade, ela somente sorria e respondia:
- Soltei a borboleta e ela me fez ser feliz.

Quando ela ficou bem velha, os vizinhos temeram que o seu segredo fabuloso pudesse morrer com ela.
- Diga-nos, por favor - eles imploravam - diga-nos o que a fada disse.

A agora amável velhinha simplesmente sorriu e disse:
- Ela me disse que todas as pessoas, por mais seguras que pudessem parecer, precisavam de mim! Na verdade... Nós todos precisamos uns dos outros, eu por exemplo preciso de você... do seu carinho e da sua amizade. Não se esqueça: Amizade é sempre querer a pessoa que ama ao seu lado. Amizade não é ocasional, interessada ou pretensiosa. Amizade é para ser constante e para sempre. Como o amor de Deus é para nós.

Quando você ajuda alguém, por pouco que seja, você está liberando felicidade para sua vida. Felicidade implica em ajudar o próximo, se doar. Se você só quer receber, não se iluda, pois a tal felicidade nunca lhe baterá a porta.

E, então, todos ficaram calados.


(Autor Desconhecido)

O Bem perseguido e o Mal protegido (Alamar Régis Carvalho)




A inversão de valores praticada pela humanidade é algo que chega a impressionar, pelo nível elevado de burrice que ela é.

Imaginemos se em algum planeta, de nível superior, um cidadão, que está acostumado a vir aqui à Terra, (na condição de “extra terrestre”, que tem aos montes aqui, mas a cabeça da maioria das pessoas é incapaz de conceber), em um bate-papo com um seu filhinho resolve contar a ele como são as coisas aqui em nosso planeta. Certamente o garoto vai dizer, a ele, mais ou menos assim:

- “Pai. Fale sério, eu quero saber mesmo sobre a Terra, porque pretendo ir lá um dia qualquer. Pare de brincadeira, o que você está dizendo não faz o menor sentido… Vamos, comece a falar sério agora.”

Só que o pai não estava de brincadeira não, ele estava falando sério, relatando a mais pura verdade acerca do comportamento das criaturas humanas.

O bem é sempre perseguido na Terra e todas as dificuldades são impostas à sua prática, enquanto o mal é protegido de todas as formas e todos, principalmente as autoridades, fazem o possível para mantê-lo, conservando-o, embora teoricamente digam o contrário.

Vejamos os exemplos disto, primeiro em relação ao bem:

Desde a nossa infância e adolescência, nos colégios, os bons alunos sempre são perseguidos e até agredidos. Os que são estudiosos e, por conta disto, tiram notas boas, são chamados de CDF; os que são educados e tratam os professores com carinho e respeito, são chamados de puxa-sacos; os que se apresentam bem, com roupas limpas e passadas, cabelos bem cuidados e penteados são chamados de “mauricinhos” ou “patricinhas”. Invariavelmente alguns colegas procuram motivos para brigarem com esses, provocam, instigam e ofendem.

Ao completar os seus 18 anos, o rapaz, quando chega à experiência militar, além de sofrer as ridículas torturas que inexplicavelmente o meio militar ainda impõe ao soldado e aluno de escola, em pleno terceiro milênio, sob a estúpida argumentação de que é preparação para a guerra, ele sofre uma outra tortura e muita pressão, quando não fuma e não usa bebidas alcoólicas. Até a sua masculinidade é colocada em questão, por ter optado por não ser viciado pelo fumo e pelo álcool.

A pessoa, homem ou mulher, quando começa a namorar, mas não sofre da doença do ciúme, porque a sua dignidade, a sua honestidade e o seu caráter não admitem fazer de um ser humano propriedade particular sua, objeto seu e coisa sua, automaticamente é qualificada como pessoa fria, que não tem sentimento e que não ama. No mundo desequilibrado, as pessoas acham que para alguém amar alguém tem que desconfiar, agredir, patrulhar, submetê-la a ser coisa sua e praticar todas as atitudes ridículas promovidas pela paixão e pelo ciúme.

O médico que procura exercer a sua profissão, priorizando o compromisso com a missão de curar e tratar dos doentes, dentro da ética que a medicina recomenda, geralmente não é bem visto por aqueles que priorizam o comércio com a saúde e as jogadas com laboratórios e planos de saúde.

O magistrado que se dispõe a fazer uma JUSTIÇA decente e imparcial, e não se submete, jamais, a praticar a JU$TI$A sem vergonha e descarada, que favorece bancos, grandes empresas e quem tem dinheiro, invariavelmente não é bem olhado dentro do fórum e até a corregedoria lhe cria problemas, quando essa deveria ser rígida exatamente contra os bandidos da magistratura.

As pessoas que estudam mais, que se empenham em trabalhar com honestidade, eficiência e dedicação, que por conseqüência produzem e ganham bem, podendo ter um bom padrão de vida, são punidas pelos governos que lhes subtraem, com os impostos e taxas, percentuais elevados, porque o sucesso de uns sempre incomodam a outros. É como se dissessem:

“Acho bom você não estudar, não fazer cursos, não ser honesto, não ser produtivo e não ser disposto em condições de ganhar bem, porque nós, governo, vamos lhe tirar o máximo que pudermos e até vamos legislar para criar mais impostos, a fim de lhe roubar, sem direito de defesa. Recomendamos que você não estude, não trabalhe, não seja produtivo, seja preguiçoso e de preferência viciado, porque aí não lhe cobraremos imposto nenhum, lhe daremos bolsa família, bolsa de tudo quanto é tipo e estamos bolando até um meio de lhe dar bolsa celular”.

Não existe comissão de direitos humanos para pessoas honestas, boas, dignas e íntegras.

O padre e a freira dignos e comprometidos fielmente com Jesus, invariavelmente são perseguidos pela própria igreja. Procurem ler a história e veja o que sofreu Dom Hélder Câmara, a Irmão Dulce e todos que viveram com dignidade e verdadeiro amor, como eles.

A igreja Evangélica, que é conduzida por uma filosofia de pastores íntegros, decentes, honrados, como o Pastor Luther King, da foto ao lado, que também priorizam JESUS, acima de tudo, mesmo se conduzindo à luz da própria Bíblia, geralmente não são as mais escolhidas pelo público que opta por ser evangélico, já que esse prefere mais aquelas denominações conduzidas por pastores mercenários, pilantras e sem vergonhas, envolvidos em safadezas, que ficam milionários à custa dos dízimos e das ofertas, porque o seu foco é servir a JE$U$ e não a JESUS.

Se um policial, numa blitz, pega um cidadão de bem, que é educado e que o cumprimenta, não tenham a menor dúvida de que ele vai fazer de tudo para encontrar alguma anormalidade e, caso encontre, saiba que ele quererá ostentar toda a sua “autoridade” em cima daquele cidadão, com todo rigor. Se for uma falha, em relação ao veículo, ele apreenderá o carro e de nada adiantará você tratá-lo bem ou argumentar que não cometeu qualquer falha a ponto de ser apreendido. Se você se atrever a discordar de alguma coisa que ele diz, ou faz, invariavelmente será enquadrado por “desacato à autoridade”.

Esta é, também, impressionante: Os maiores índices de multas e punições mais pesadas, aplicadas pelos fiscais da previdência, do ministério do trabalho, das receitas federal e estadual e da prefeitura, são exatamente contra os empresários e comerciantes mais decentes, mais honestos, sérios e dignos.

Os exemplos são inúmeros e eu escreveria um livro, só relatando-os. Mas vamos ficar por aqui.

Veja, agora, o outro lado, como é que o mal é tratado.

Comecei pelo período do colégio e vou começar novamente pelo colégio.

O aluno mal educado, brigão, grosseiro, relaxado no vestir e que menos se dedica aos estudos, geralmente é o mais respeitado por toda a turma. Se ele bebe e fuma, todos os colegas acham bonito e vêem aquilo como uma verdadeira curtição.

Se o aluno resolver agredir à sua professora, até mesmo tirar sangue dela, não precisará se preocupar com nada, porque nada, absolutamente nada, vai acontecer com ele, que será considerado de menor e pode fazer o que quiser. Se o assunto for levado ao conhecimento da imprensa, não tenha a menor dúvida de que o colégio será apontado como o culpado e a professora, por incrível que pareça, a verdadeira vítima ainda será acusada, por alguns, como responsável pelo acontecido.

Esta é a realidade dos dias atuais. Se um aluno agride, tira sangue e até mata uma professora, nada acontece com ele, mas se a professora, ao menos, disser alguma palavra mais pesada contra ele, certamente ela poderá ser afastada, processada e punida rigorosamente. Vejam bem: basta dizer uma palavra mais pesada, não estou falando nem em dar umas palmadas ou agredir o aluno.

Esta foto, aí ao lado, é de um professor que foi agredido por alunos. Não pode fazer nada e nenhum dos agressores foi punido.

Sei do caso de uma que é vítima de um marginalzinho desses, que de vez em quando passa a mão na sua bunda e até na sua vagina e fica morrendo de rir, debochando, junto com os outros colegas, sem que ela possa fazer nada, porque quando ela tentou reclamar, junto à direção do estabelecimento, ouviu: “A culpa é sua, que dá liberdade aos alunos e não sabe educar”.

Embora não queiramos pregar qualquer tipo de babárie, porque o bom senso não nos permite ser a favor de nenhum tipo de violência, vale lembrar que no tempo em que os professores baixavam a porrada em alunos que praticassem essas agressões, e ainda tinham o apoio dos pais que lhes davam outra surra, quando chegavam em casa, com certeza esse tipo de coisa não acontecia.

Os sindicatos dos professores geralmente são fracos, omissos e não se empenham energicamente, em relação a isto, porque os imbecis que estão à sua frente, invariavelmente são aproveitadores, como a maioria dos sindicalistas, que não vislumbram outra coisa senão o objetivo de entrar para a política e também se beneficiarem com ela. Hoje é um bom negócio montar um sindicato, no Brasil, porque dá uma boa grana, que entra muito fácil e sem esforço.

No meio militar, o soldado ou aluno que fuma e bebe é mais queridinho pelos que o comandam, basta ele levar, de vez em quando, uma garrafa de cachaça para o seu sargenteante, que estará, sempre, tudo bem com ele. Uma garrafa de whisky, de presente, é uma das melhores opções para conquistar a amizade de quem está por cima.

Conforme todos podemos constatar, o Ministério da Saúde faz todas essas campanhas contra o alcoolismo e contra o fumo, mas o próprio governo destina altas verbas do BNDES para financiar fábricas de cachaça, em qualquer lugar do Brasil. Percebeu que demagogia e hipocrisia mais sem vergonha?

Não existe o menor interesse, no ser humano, em apoiar o bem, incentivar o bem e estimular quem faz coisas boas. Há segmentos religiosos que recomendam que as pessoas não devem elogiar ninguém, não devem aplaudir e nem fazer qualquer tipo de manifestação, quando alguém realiza alguma coisa boa. A argumentação ridícula e estúpida é que elogiando e aplaudindo alguém estão estimulando a sua vaidade. No entanto, essas mesmas cabeças não fazem qualquer restrição às críticas, às pressões, às punições e todo ato punitivo que for praticado contra quem comete algum equívoco, por menor que seja.

É uma inversão de valores absurda.

Já falei em vários artigos e o Brasil inteiro sabe da existência de uma tal comissão de direitos humanos, com atuação em todos os estados, que só existe para defender bandidos. Quem quiser que observe bem, como essa comissão se apresenta:

Se um bandido qualquer mantém uma vítima com refém, durante algum tempo, ela não aparece e não faz o menor esforço em favor da vítima, que também é um ser humano. De repente o bandido assassina a vítima, a família entra em desespero, num sofrimento enorme. Ela não aparece para dar qualquer tipo de apoio a essa família. Se for um pai de família, por exemplo, o assassinado, ficando a esposa em carência absoluta e os filhos com fome e passando por necessidades, ela não aparece e não esboça qualquer esforço em campanhas de apoio em seu favor.

De repente a polícia prende o assassino e alguns populares, revoltados, começam a se manifestarem indignados.

Quem aparece?

Ela, a comissão dos direitos humanos, acompanhada de advogados para prevenirem a favor da integridade física do monstro. Ai do policial, nos dias de hoje, que levantar a mão para, pelo menos, dar um tapa num bandido deste. Eu não falo nem em dar um murro no meio da cara, falo em um tapa. Imediatamente a tal comissão age contra o policial, a imprensa fala contra ele e o seu comando, por pressão da imprensa, o pune e afasta da corporação.

Tem uma advogada, em São Paulo, fazendo o maior esforço para soltar o assassino da Eloá. Não foi contratada por ninguém, não tem honorário nenhum, mas a disposição de proteger bandidos é tão grande que não precisa nem honorário.

Hoje, em nosso país, é um grande negócio ser bandido.

Você já ouviu falar no salário reclusão? É um salário que existe no Brasil, só para bandidos presos.

Uai, mas existe esse salário governamental também para a família da pessoa que esse bandido assassinou e que está passando necessidades?

Não. O auxílio reclusão é só para o bandido, a família da vítima que se lasque, é este o pensamento do governo.

Se você não tiver a fim de trabalhar, mas quer ter vantagens, basta matar alguém e torcer para pegar uma boa condenação. Não vai pagar imposto nenhum, vai comer de graça, por conta do governo, não fará porcaria nenhuma, pode reivindicar mulher para fazer sexo na prisão, se quiser ficar com raiva e queimar tudo na penitenciária, pode, sem problema nenhum, se quiser botar fogo no colchão, pode botar, que o governo dá outro, novinho, e ainda vai ter o salário reclusão. Ainda tem a comissão dos direitos humanos para lhe defender. Existe coisa melhor do que esta para quem é preguiçoso e tem espírito vagabundo?

Por acaso, meu caro leitor, eu estou exagerando em alguma coisa?

Você sabe qual o profissional que mais é pressionado pelo imposto de renda, que prioritariamente é o mais escolhido pela tal malha fina, para que o governo possa tirar o máximo que puder do seu dinheiro?

O médico. Sim, exatamente ele, que é o profissional incumbido por cuidar da nossa saúde, para que a vida não seja afetada pelas doenças.

Se o cinema lançar no mercado, hoje, dois filmes, ambos com os mais requisitados atores americanos, tipo Tom Cruise, Demi Moore, Tom Hanks, Brad Pitt, Angelina Jolie, Catherine Zeta Jones, etc… mas que seja um filme sobre a Paz, os bons exemplos e as coisas boas, e o outro extremamente violento, com muito assassinato, muito sangue e morte, muita ação policial e terror. Qual dos dois vai ter melhor bilheteria?

Nem tenha dúvidas, porque a resposta já está dada.

Vejamos o contingente de policiais militares de São Paulo e perguntemos:

Onde está a maioria dos homens, no dia-a-dia?

No encalço dos bandidos perigosos? Nos lugares onde existe tráfico de drogas, venda e fumo de maconha aberto que eles sabem muito bem onde é? Nos centros comerciais das cidades, combatendo o explícito comércio dos produtos falsificados e piratas, que também eles sabem perfeitamente onde estão?

Não, nada disto. A maioria dos policiais está espalhada pela cidade, praticando a vergonhosa extorsão pela indústria das multas, vitimando o cidadão comum que não é bandido, nunca matou e nunca roubou ninguém. Qualquer anormalidade encontrada é motivo para eles apreenderem o carro, cobrarem mais de 300 reais de guincho e várias outras taxas.

O bem é perseguido e o mal é protegido, sempre.

Funcionário honesto e dedicado de uma empresa é mal visto pelos colegas que sempre preferem aquele que faz jogadas, desvios de produtos, movimentos contra o patrão e, de preferência que seja também viciado.

O adolescente não gosta de estabelecer amizades com adolescente equilibrado, dedicado aos pais e que não tenha vícios, porque na concepção dele, trata-se de um “careta”. Ele valoriza mais os que têm vícios e que, de preferência, seja agressivo para com os seus pais.

Você já viu algo mais ridículo e estúpido que o trote, aquela coisa indecente que se pratica nas pessoas que passam no vestibular. É um dos mais explícitos atos de selvageria praticada, absolutamente incoerente para pessoas que entram em cursos “superiores”!!!! Que diabo de superioridade é essa???? Curso superior, em quê? Não seria mais coerente se os vitoriosos fossem tratados com carinho e com festas?

Os religiosos que mais dizem ter aceito Jesus não suportam outros que também tem Jesus como modelo, mas que divergem em um ou outro ponto de vista de fé.

Como exemplo, vou colocar a posição do evangélico e do espírita: Ambos têm Jesus como o maior modelo de vida a ser seguido e existe mais de 90% de pontos convergentes entre ambos, restando, portanto, menos de 10% de pontos divergentes.

Por causa desses menos de 10% divergentes, maioria dos evangélicos vêem os espíritas como se fossem inimigos, combatem e falam o que querem. Se pudessem, os queimaria na fogueira.

O engraçado de tudo é que eles, geralmente, não fazem qualquer esforço contra aqueles que não tem nem 5% de Jesus, que estão totalmente distantes dele, como são os terroristas, os ladrões, os corruptos e os verdadeiros bandidos.

Você já imaginou se se unissem as forças católicas, protestantes, espíritas e todas aquelas que têm Jesus, como maior modelo, parassem com essa palhaçada de viverem a criticar uns aos outros e, em vez disto, tomassem juízo e saíssem pelo mundo difundindo as maravilhosas propostas do Evangelho?

Você sabia que 99% dos brasileiros não sabe que existe o verbo pazear? Sabia que somente os dicionários mais completos, alguns apenas, trazem este verbo? Eu tenho vários dicionários em casa e em metade deles não consta o verbo, inclusive um da enciclopédia BARSA, que não consta.

Pazear significa fazer a paz, estabelecer paz e harmonia, promover paz, mas ninguém tem interesse em divulgar, professor nenhum ensina os alunos a conjugarem esse verbo em salas de aulas.

No entanto o verbo GUERREAR, todo mundo conhece.

Para finalizar, quero sugerir às pessoas para que raciocinem em cima do tema deste e-mail. Esta burrice não pode permanecer na face da Terra e todos nós temos que começar a fazer a nossa parte para mudar isto. Paremos de achar que somente os outros fazem isto porque, de repente, numa auto-análise, vamos perceber que muitos de nós endossamos essas coisas e não fazemos o menor esforço em mudar.

Promovamos a PAZ, prestigiemos as pessoas boas, aprendamos a elogiar e a aplaudir aqueles que de fato fazem coisas de destaque e pelo bem da humanidade e deixemos de ser omissos.

O compromisso com o apoio ao bem é dever de todos nós.

Para a sua apreciação.


Alamar Régis Carvalho
Analista de Sistemas, Escritor e ator.
Criador da idéia do Partido Vergonha na Cara

www.partidovergonhanacara.com
alamar@redevisao.net
www.alamar.biz
www.redevisao.net
www.site707.com
www.amigosdaembratel.com.br/7

terça-feira, 2 de março de 2010

Atire a primeira flor




"Quando tudo parece caminhar errado,
seja você o primeiro passo certo.

Se tudo parece escuro, se nada puder ser visto,
acenda a primeira luz.

Traga para a treva, você primeiro,
a pequena lâmpada.

Quando todos estiverem chorando,
tente você o primeiro sorriso,

Não na forma de lábios ardentes,
Mas na de um coração que compreenda,
de braços que confortem.

Se a vida inteira for um imenso não,
parta você na busca do primeiro sim,

Ao qual tudo de positivo deverá seguir-se.
Quando ninguém souber coisa alguma,
é você mesmo, Corrigindo-se a si mesmo.

Quando alguém estiver angustiado na procura,
observe bem o que se passa.

Talvez seja em busca de você mesmo
que este seu irmão esteja.

Quando a terra estiver seca,
que sua mão seja a primeira a regá-la.

Quando a flor estiver murcha,
seja a primeira a separar o joio,
a arrancar a praga, a afastar a pétala, a acariciar a flor.

Se sua porta estiver fechada,
de você venha a primeira chave.

Se o vento sopra frio,
que seu calor humano seja a primeira proteção
e o primeiro abrigo.

Se o pão for apenas massa, e não estiver assado,
seja você o primeiro forno para transformá-lo em alimento.

Não atire a primeira pedra em quem erra,
de acusadores o mundo está cheio.

Nem, por outro lado, aplauda o erro.
Ofereça sua mão primeiro para levantar quem caiu,
dê sua atenção primeiro para mostrar o caminho de volta,
compreendendo que o perdão regenera,
que é a compreensão edificada, que o possibilita,
e que o entendimento reconstrói.

Toda escada tem um degrau,
para baixo ou para o alto.

Toda estrada tem um primeiro passo,
para frente ou para trás.

Toda vida tem um primeiro gosto de existência ou de morte.

Atire pois, você, com ternura e vontade de entender,
quando tudo for pedra, a primeira e decisiva flor…"

(Autor Desconhecido)