quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Learn Spiritism Class 10 - Self-knowledge



Learn Spiritism Class 10 - Self-knowledge




Source: Revista Auta de Souza - http://www.youtube.com/user/rautadesouza/

Learn Spiritism Class 9 - Obsession



Learn Spiritism Class 9 - Obsession




Source: Revista Auta de Souza - http://www.youtube.com/user/rautadesouza/

Learn Spiritism Class 8 - Mediumship



Learn Spiritism Class 8 - Mediumship




Source: Revista Auta de Souza - http://www.youtube.com/user/rautadesouza/

Learn Spiritism Class 7 - Plurality of inhabited worlds



Learn Spiritism Class 7 - Plurality of inhabited worlds




Source: Revista Auta de Souza - http://www.youtube.com/user/rautadesouza/

Learn Spiritism Class 6 - Discarnation



Learn Spiritism Class 6 - Discarnation




Source: Revista Auta de Souza - http://www.youtube.com/user/rautadesouza/

Learn Spiritism Class 5 - Reincarnation



Learn Spiritism Class 5 - Reincarnation




Source: Revista Auta de Souza - http://www.youtube.com/user/rautadesouza/

Learn Spiritism Class 4 - Spirit, Perispirit and Body



Learn Spiritism Class 4 - Spirit, Perispirit and Body




Source: Revista Auta de Souza - http://www.youtube.com/user/rautadesouza/

Learn Spiritism Class 3 - Spiritism and Allan Kardec



Learn Spiritism Class 3 - Spiritism and Allan Kardec




Source: Revista Auta de Souza - http://www.youtube.com/user/rautadesouza/

Learn Spiritism Class 2 - Jesus



Learn Spiritism Class 2 - Jesus




Source: Revista Auta de Souza - http://www.youtube.com/user/rautadesouza/

Learn Spiritism Class 1 - God



Learn Spiritism Class 1 - God




Source: Revista Auta de Souza - http://www.youtube.com/user/rautadesouza/

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Abençoemos aqueles que se preocupam conosco (Chico Xavier)



"Abençoemos aqueles que se preocupam conosco, que nos amam, que nos atendem as necessidades...

Valorizemos o amigo que nos socorre, que se interessa por nós, que nos escreve, que nos telefona para saber como estamos indo... A amizade é uma dádiva de Deus...

Mais tarde, haveremos de sentir falta daqueles que não nos deixam experimentar solidão!"

(Chico Xavier)

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Tudo Passará (Emmanuel | Chico Xavier)


Tudo Passará (Emmanuel | Chico Xavier)



Todas as coisas, na Terra, passam...

Os dias de dificuldades, passarão...

Passarão também os dias de amargura e solidão...

As dores e as lágrimas passarão.

As frustrações que nos fazem chorar... um dia passarão.

A saudade do ser querido que está longe, passará.

Dias de tristeza... Dias de felicidade...

São lições necessárias que, na Terra, passam, deixando no espírito imortal as experiências acumuladas.

Se hoje, para nós, é um desses dias repletos de amargura, paremos um instante.

Elevemos o pensamento ao Alto, e busquemos a voz suave da Mãe amorosa a nos dizer carinhosamente: isso também passará...

E guardemos a certeza, pelas próprias dificuldades já superadas, que não há mal que dure para sempre.

O planeta Terra, semelhante a enorme embarcação, às vezes parece que vai soçobrar diante das turbulências de gigantescas ondas.

Mas isso também passará, porque Jesus está no leme dessa Nau. Segue com o olhar sereno de quem guarda a certeza de que a agitação faz parte do roteiro evolutivo da humanidade, e que um dia também passará...

Ele sabe que a Terra chegará a porto seguro, porque essa é a sua destinação.

Assim, façamos a nossa parte o melhor que pudermos, sem esmorecimento, e confiemos em Deus, aproveitando cada segundo, cada minuto que, por certo...
também passarão..."

" Tudo passa... exceto DEUS!"
Deus é o suficiente!

Emmanuel | Chico Xavier

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

The Messenger - Chico Xavier - Five-episode web-series made for the American Spirit Foundation AKES (www.allan-kardec.org ). Realization: Animanet Vídeo e Multimídia





The Messenger - Chico Xavier
Five-episode web-series made for
the American Spirit Foundation AKES (www.allan-kardec.org ).
Realization: Animanet Vídeo e Multimídia
The Messenger - Chico Xavier - Ep 01 "We Have a Problem"


The Messenger - Chico Xavier - Ep 02 "The Avocado Tree"


The Messenger - Chico Xavier - Ep 03 "The Real World"


The Messenger - Chico Xavier - Ep 04 "Reason and Faith"


The Messenger - Chico Xavier - Ep 05 "Finding God"

The Messenger - Chico Xavier - Five-episode web-series made for
the American Spirit Foundation AKES (www.allan-kardec.org ).
Realization: Animanet Vídeo e Multimídia


Congresso "Espiritismo: Provas Científicas da Filosofia e da Religião" - UERJ (Despetar Espírita)


Congresso
"Espiritismo: Provas Científicas da Filosofia e da Religião"
UERJ (Despetar Espírita)

A TV Nova Luz esteve presente no congresso "Espiritismo: provas científicas da Filosofia e da Religião" realizado em novembro de 2013 na UERJ e promovido pelo PROEPER, Programa de Estudos e Pesquisas das Religiões, e que faz parte do Centro de Ciências Sociais. Depoimentos de Telma Gama e Nadja do Couto Valle. Vídeo produzido pelo Clube de Arte e exibido na www.tvnovaluz.com.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

4º Congresso Espírita Brasileiro (150 anos de O Evangelho segundo o Espiritismo)





4º Congresso Espírita Brasileiro
(150 anos de O Evangelho segundo o Espiritismo)






Programação

11 de abril de 2014 (sexta)
"Amor Fundamento da Vida"

Das 10h às 12h30 - Conferência de abertura "O Evangelho segundo o Espiritismo..." - Divaldo Pereira Franco

Das 14h30 às 16h30 - "Há muitas moradas na casa de meu Pai" - Stela Pojuci de Morais
"Jesus e a reencarnação" - Herculis França Romano

Das 17h às 19h" - O Evangelho segundo o Espiritismo e a trilogia espírita" - Sandra Maria Borba Pereira
"A Lei do Amor" - Jorge Alberto Elarrat Canto


12 de abril de 2014 (sábado)
"Relações , alimento da Vida"

Das 8h às 10h - "Fora da caridade não há salvação" - Ana Coeli Araujo
"O sermão do monte" - Vagner da Silva

Das 10h30 às 12h30 - "Os trabalhadores da última hora" - Volmar Julson Buffi
"Jesus ensinava por parábolas" - Reinaldo Pontes

Das 14h30 às 16h30 - "Justiça das aflições" - Marconi Gomes de Oliveira
"Pedi e obtereis" - Helena Fonseca Maciel Bezerra

Das 17h às 19h" - O Evangelho, caminho, verdade e vida" - Miriam Lúcia Herrera Masotti Dusi
"Jesus, guia e modelo da humanidade" - Geraldo Campetti Sobrinho


13 de abril de 2014 (domingo)
"Amor Fundamento da Vida"

Das 8h às 10h" - Desafios para a vivência do Evangelho" - José Alberto Machado
"Não separeis o que Deus juntou - laços de família" - Rita de Cássia Castro de Jesus

Das 10h30 às 12h30 - Solenidade de encerramento - "A construção do homem de bem" - Alberto Almeida

Inscrições e informações em: http://www.febnet.org.br/4congresso/

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Biografia de Allan Kardec é sucesso de vendas





Biografia de Allan Kardec é sucesso de vendas


Há menos de 20 dias nas livrarias do país, a biografia de Allan Kardec, o codificador do espiritismo, já figura entre as obras mais vendidas. O livro “Kardec: A Biografia” (editora Record) é de Marcel Souto Maior e foi lançado no dia 21 de outubro. Até agora, já foram vendidos 40 mil dos 100 mil exemplares colocados no mercado.

 Se depender da força do personagem, esse número atingido em pouco tempo não será apenas “fogo de palha”. O francês Allan Kardec (1804–1869), cujo nome verdadeiro foi Hippolyte Léon Denizard Rivail, lançou mais de uma dezena de livros sobre a religião e, de acordo com a Federação Espírita Brasileira, mais de 11 milhões de cópias de suas obras já foram comercializadas no país.

Em “Kardec: A Biografia”, Souto Maior vai além da doutrina para contar como o cético professor Hippolyte se tornou um missionário que deu origem ao espiritismo. Em sua pesquisa, o jornalista e escritor usou documentos históricos, como jornais e revistas da época, inclusive originais da “Revista Espírita”, publicada todo mês por Kardec durante 12 anos.

A expectativa é de que a publicação siga os passos do sucesso de "As Vidas de Chico Xavier" (editora LeYa), biografia do mesmo autor. Desde 2003, quando foi lançada, a narrativa sobre o brasileiro já vendeu mais de um milhão de cópias no país, e sua adaptação para o cinema, no filme "Chico Xavier", dirigido por Daniel Filho, ultrapassou a marca de 3 milhões de espectadores.

De acordo com o IBGE, o número de espíritas autodeclarados no Brasil é de 3,8 milhões, apenas, mas o grupo de simpatizantes com a doutrina criada por Kardec é de 30 milhões, segundo a Federação Espírita Brasileira.

Isso pode explicar o bom desempenho das produções anteriores e o rápido aparecimento de “Kardec: A Biografia” nas listas de mais vendidos das grandes publicações. Nas edições desta semana da revista Veja e da Época, o livro recém-lançado ficou em 7º e 6° lugar, respectivamente, na categoria Não Ficção. Nos jornais O Globo e Folha de S. Paulo do dia 2 de novembro, a história de Allan Kardec ficou, respectivamente, em 6° e 9º lugar na categoria Não Ficção.

Fonte: http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/noticias/biografia-de-allan-kardec-e-sucesso-de-vendas

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Amai os vossos inimigos (O Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. XII)



Amai os vossos inimigos

3. Se o amor do próximo constitui o princípio da caridade, amar os inimigos é a mais sublime aplicação desse princípio, porquanto a posse de tal virtude representa uma das maiores vitórias alcançadas contra o egoísmo e o orgulho.

Entretanto, há geralmente equívoco no tocante ao sentido da palavra amar, neste passo. Não pretendeu Jesus, assim falando, que cada um de nós tenha para com o seu inimigo a ternura que dispensa a um irmão ou amigo. A ternura pressupõe confiança; ora, ninguém pode depositar confiança numa pessoa, sabendo que esta lhe quer mal; ninguém pode ter para com ela expansões de amizade, sabendo- a capaz de abusar dessa atitude. Entre pessoas que desconfiam umas das outras, não pode haver essas manifestações de simpatia que existem entre as que comungam nas mesmas idéias. Enfim, ninguém pode sentir, em estar com um inimigo, prazer igual ao que sente na companhia de um amigo.

A diversidade na maneira de sentir, nessas duas circunstâncias diferentes, resulta mesmo de uma lei física: a da assimilação e da repulsão dos fluidos. O pensamento malévolo determina uma corrente fluídica que impressiona penosamente. O pensamento benévolo nos envolve num agradável eflúvio. Daí a diferença das sensações que se experimenta à aproximação de um amigo ou de um inimigo. Amar os inimigos não pode, pois, significar que não se deva estabelecer diferença alguma entre eles e os amigos. Se este preceito parece de difícil prática, impossível mesmo, é apenas por entender-se falsamente que ele manda se dê no coração, assim ao amigo, como ao inimigo, o mesmo lugar. Uma vez que a pobreza da linguagem humana obriga a que nos sirvamos do mesmo termo para exprimir matizes diversos de um sentimento, à razão cabe estabelecer as diferenças, conforme os casos.

Amar os inimigos não é, portanto, ter-lhes uma afeição que não está na natureza, visto que o contacto de um inimigo nos faz bater o coração de modo muito diverso do seu bater, ao contacto de um amigo. Amar os inimigos é não lhes guardar ódio, nem rancor, nem desejos de vingança; é perdoar-lhes, sem pensamento oculto e sem condições, o mal que nos causem; é não opor nenhum obstáculo à reconciliação com eles; é desejar-lhes o bem e não o mal; é experimentar júbilo, em vez de pesar, com o bem que lhes advenha; é socorrê-los, em se apresentando ocasião; é abster- se, quer por palavras, quer por atos, de tudo o que os possa prejudicar; é, finalmente, retribuir-lhes sempre o mal com o bem, sem a intenção de os humilhar. Quem assim procede preenche as condições do mandamento: Amai os vossos inimigos.

O Evangelho Segundo o Espiritismo - Cap. XII

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Fórmula do Consolo (Daniela Marchi)




Fórmula do Consolo (Daniela Marchi)
 
 
Ficar triste, todo mundo fica. Eu, talvez, seja mais propensa aos estados de melancolia , mas não chego a me alimentar da tristeza.
 
Os estados de baixa emocional são comuns à alma comum. Uma pessoa como eu, que é 'comunzinha' de tudo, mas busca o infinito, sonha com as estrelas, namora a Lua, idealiza um mundo melhor, mas vive presa neste mundo programado pela tradição vigente, vai ter momentos de declínio.
 
Aí você aparece borocoxô e todo mundo fica te olhando de 'rabo de olho' e perguntando o porquê daquilo. Raríssimos são os que simplesmente oferecem seu ombro, um abraço, o silêncio.
 
São poucos os que realmente se dispõem a ouvir um desabafo sem criticar ou fazer aquelas odiosas comparações com outras pessoas ou com a conjuntura mundial; "- Olha, tem gente que passa fome";"Tem coisa pior"; "Saia para espairecer"; "Você sabe que não pode ficar assim"; "Não fale isso" e muitas outras frases pré-fabricadas de quem se dispõe a ajudar.
 
Certa feita, vi triste uma pessoa que nem era muito chegada a mim. De intuição, abracei-a e logo senti, num dos meus ombros, a quentura das lágrimas. O abraço abriu a guarda para o choro, e pedi para que a pessoa xingasse, chorasse, reclamasse o quanto quisesse, porque eu estava lá para ouvir e 'ombrear'.
 
Hoje em dia, sempre que encontro tal pessoa, ela brinca dizendo que aquele foi o melhor alívio de sua vida. Prozac turbinado de ação instantânea. No dia em que ofereci o alento descobri, sem querer, a fórmula do consolo: SILÊNCIO+OMBRO +ABRAÇO=ALÍVIO.
 
Como sou imperfeita demais da conta e estou sempre barganhando com Deus, sonho com um momento assim: alguém que me conforte e não diga sempre as mesmas coisas, mas apenas ouça. Sou a típica egoísta: se fiz, quero também! Ora!
 
Quanto a sofrer, sofro mesmo, e daí? O sentimento aflora, eu choro porque sou sensível. Fica um pouco a tristeza, mas passa. Passa sem remédio, sem grito, sem briga. Será mesmo que eu sou estranha? Estranho, para mim, é fugir do que te frustra, porque ficará sempre mal resolvido.
 
Para a fuga, estão à disposição a bebida, as noites barulhentas, a comilança, as intermináveis reuniões da galera, que nada acrescentam à convivência nem ao espírito, as compras, os remédios da moda...
 
Eu me recolho no choro, não sei se é fuga, mas não tenho medo de chorar e sofrer. A melancolia me traz profundas reflexões, um auto-conhecimento extraordinário e me inspira na poesia. Este recolhimento melancólico-reflexivo impede, na maioria das vezes, que eu faça ou fale coisas das quais me arrependa depois.
 
Nesta época de Natal, para os 'não-programados', como eu, a 'barra pesa'. Choro, olho as estrelas, mas fico na excelente companhia daquele que aceita a minha pequenez, me compreende e me envolve em abraços de luz sem me julgar ou criticar, o dono da festa, Jesus.
Sejam abençoados.
 
Daniela Marchi - Dezembro de 2012

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Oração para não incomodar (André Luiz)



Oração para não incomodar (André Luiz)


Senhor! Concede-me, por misericórdia, o dom de contentar-me com o que tenho, a fim de fazer o melhor que posso.

Ensina-me a executar uma tarefa de cada vez, no campo de minhas obrigações, para que eu não venha a estragar o valor do tempo.

Livra-me da precipitação e da insegurança, de modo que não busque aflições desnecessárias ante o futuro, nem me entregue à inutilidade no presente.

Dá-me a força de esperar com paciência a solução dos problemas que me digam respeito sem tumultuar o caminho dos que me cercam.

Ajuda-me a praticar o esquecimento de mim mesmo, auxiliando-me a fazer pelo menos um benefício aos outros, cada dia, sem contar isso a ninguém.

Se este ou aquele companheiro me aborrece, induze-me a olvidar o que se passou, sem dar conhecimento do assunto aos que me rodeiam.

Ensina-me a não condenar seja quem for e, quando algum apontamento injurioso ou alguma nota de crítica malévola vierem-me à cabeça, ampara-me a fim de que eu tenha recursos de dissipá-los em silêncio, no plano de meus esforços imanifestos.

Impele-me a calar toda queixa, em torno das provas e empecilhos da vida, para que eu não perturbe os que me compartilham a estrada.

Auxilia-me a conservar boa aparência tanto quanto o espírito isento de culpa, a falar com voz calma, a sustentar bons modos e a perder o hábito de impor minhas ideias ou de contradizer as dos outros sem necessidade.

E ajuda-me, Senhor, a viver na obediência aos meus deveres e compromissos, trabalhando e servindo, para não incomodar ninguém.

(André Luiz)

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Como se vestem e se alimentam os Espíritos - Sérgio Thiesen (Programa Despertar Espírita)






Como se vestem e se alimentam os Espíritos - Sérgio Thiesen
(Programa Despertar Espírita)





Yasmin Madeira realiza entrevista com o Dr. Sérgio Thiesen sobre o tema "Como se vestem e se alimentam os Espíritos", no programa Despertar Mediunidade. Vídeo produzido pelo Clube de Arte e exibido na tvnovaluz. com.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Action and Reaction - Chapter 1 - A Light in the Darkness (Chico Xavier)



Action and Reaction - Chapter 1
A Light in the Darkness (Chico Xavier)




Source: SpiritistSociety (http://www.youtube.com/user/SpiritistNetwork)

***

Book Title:  Action and Reactionl¹
Spirit Author: André Luiz
Medium: Francisco Cândido Xavier   
First Published: 1957

Description:       

From the back cover of the book ²:

In this volume you will find a description of the lower regions of the spirit realm and the suffering to which the guilty conscience is subject after the death of the physical body.

Andre Luiz presents studies of real-life cases and offers guidance regarding paying one’s spiritual debts, the law of cause and effect, preparations for reincarnation, collective expiations, and the value of prayer.

The spirit author shows that the possibilities of our current existence are connected to our actions in past existences, just as our actions of today will condition our possibilities in the future.

¹Translation of original in Portuguese, titled “Ação e Reação”
² As published by the International Spiritist Council

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Como era a pessoa de Jesus Cristo (Autor Desconhecido)



Como era a pessoa de Jesus Cristo (Autor Desconhecido) 

Carta do governador da Judéia, Públios Lentulus, ao César Romano:

Documento arquivado em ROMA

- Soube ó César, que desejavas informações acerca desse homem virtuoso que se chama Jesus, que o povo considera um profeta, e seus discípulos, o filho de Deus, criador do céu e da terra. Com efeito, César, todos os dias se ouvem contar dele coisas maravilhosas. Numa palavra, ele ressuscita os mortos e cura os enfermos. É um homem de estatura regular, em cuja fisionomia se reflete tal doçura e tal dignidade que a gente sente obrigado a amá-lo e temê-lo ao mesmo tempo.

A sua cabeleira tem até as orelhas, a cor das nozes maduras e, daí aos ombros tingem-se de um louro claro e brilhante; divide-se uma risca ao meio, à moda nazarena. A sua barba, da mesma cor da cabeleira, e encaracolada, não longa e também repartida ao meio. Os seus olhos severos têm o brilho de um raio de sol; ninguém o pode olhar em face. Quando ele acusa ou verbera, inspira o temor, mas logo se põe a chorar. Até nos rigores é afável e benévolo. Diz-se que nunca ninguém o viu rir, mas muitas vezes foi visto chorando. As suas mãos são belas como seus braços, toda gente acha sua conversação agradável e sedutora. Não é visto amiúde em público e, quando aparece, apresenta-se modestissimamente vestido. O seu porte é muito distinto. É belo. Sua mãe, aliás, é a mais bela das mulheres que já se viu neste país..

Se o queres conhecer, ó César, como uma vez me escreveste, repete a tua ordem e eu te o mandarei. Se bem que nunca houvesse estudado, esse homem conhece todas as ciências. Anda descalço e de cabeça descoberta. Muitos riem, quando ao longe o enxergam; desde que porém, se encontram face a face com ele, tremem e admiram-no.

Dizem os hebreus que nunca viram um homem semelhante, nem doutrinas iguais às suas. Muitos crêem que ele seja Deus, outros afirmam que é teu inimigo, ó César. Diz-se ainda que ele nunca desgostou ninguém, antes se esforça para fazer toda gente venturosa.

***

OBS 1: A descrição acima foi traduzida de uma carta de Públius Lentulus a César Augusto, Imperador de Roma. Públius Lentulus foi predecessor de Pôncio Pilatos como governador da Judéia, na época em que Jesus Cristo iniciou seu ministério. O texto original encontra-se na biblioteca do Vaticano. Comprovada sua autenticidade, tornou-se, fora da Bíblia, o documento mais importante sobre a pessoa de Jesus.

OBS 2: Sabemos também que após a crucificação de Cristo Públius Lentulus tornou-se seu seguidor e, juntamente com sua filha Lívia, levava a palavra de Deus aos povos da época.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

André Luiz (Biography)


André Luiz (Biography)


 
In his last life, he was a medical doctor and researcher, in the early 20th century.  Today, Spiritists know the spirit author, André Luiz, as a magnificent messenger, teacher and friend, one who is greatly admired and honored for his literary contributions to the advancement in mankind's understanding of spirit matters.  From the moment his first book, "Nosso Lar" was published in Brazil, in 1944, after having been psychographed by the Brazilian, Spiritist medium, Francisco Candido Xavier, also known as Chico Xavier, André Luiz captured the hearts and minds of his readers.  "Nosso Lar" was the first in a series of novels that would literally catalyze the Spiritist movement, by awakening readers to the "tangibility", so to speak, of spirit life and of the interaction between the spiritual and material worlds. We could, perhaps, say that the study of Spiritism, as we know it in more recent years, would not be the same without the literary gifts presented by André Luiz and his loyal medium, Chico.
 
Faithful to the indispensable and solid foundation found in Allan Kardec's codification of Spiritism, the collection of novels from André Luiz, in reality  an amazing, non-fictional, first-hand account of the author's educational and transformational experiences in the spirit realm, literally bring to life the teachings of Spiritist philosophy, the revealing observations of Spiritist science, and the unequivocal operation and justice of the natural laws that regulate life.  
 
About "Nosso Lar" Andrea Dessen writes¹,
"André Luiz acts as a reporter on conditions in the spirit world, revealing details of its life, people, places, and organization.  He does so through the lens of his reflections on his own after-death experience, and his struggles to make sense of his new reality.  In this very personal account, André Luiz reveals his identity as a medical doctor who practiced in southeastern Brazil in the first decades of the twentieth century, and who left the physical body a few years prior to the beginning of World War II.  A true skeptic at the time of his demise, he is initially shocked at the discovery that death is nothing more than a doorway to a new and richer life.  As time progresses, however, he undergoes inevitable experiences and teachings in the spirit realm which lead him to a better understanding of life's meaning".
 
This progress that began for André, or "André", in "Nosso Lar", continued on, as narrated by André in the books to follow.  In each book,  "André" takes readers along with him as he accompanies his mentors and other friends he makes along the way, in carrying out different tasks that take them to a variety of places.  Readers, especially those new to Spiritist ideas, will be surprised by the realities of spirit life, as seen through André's eyes2, and by how much we interact with those living beings who are not presently incarnated. Yet, that is the beauty of André's accounts.  We may know, for example, that God helps us in our troubles, or that we need to trust God's justice and wisdom.  André however, observes the literal "embodiment" of this true love and compassion, executed by his mentors and friends who consider themselves God's workers.  On top of all this, what André discovers along this journey and shares with his readers, include ideas and concepts that reveal the spiritual mechanisms behind physical phenomena that science is only now discovering !   Whether André is acquiring new scientific awareness or being taught important moral lessons, as readers, we feel like we are right there, learning along with him.  We get to read about the people, places, and events that make us see life in a whole new way.  Over time, the impact that all these experiences have on André, and the way they transform him is educational and inspiring. 
 
Despite the newness of ideas, and, in some cases, the complexity of concepts covered, André Luiz shares them with us in a language that is both comprehendible and captivating. In addition to the novels discussed here, André Luiz wrote several books with messages that both inspire superior thoughts and sentiments and guide our behaviors in the right direction.  The beloved Chico Xavier is no longer living among us here on Earth.  However, as Spiritists, and as people, in general, we will all benefit from the contributions that André has already made and from the fruit of his collaboration with Chico Xavier.
 
¹ Andrea Dessen, Ph.D, Project (translation) Director of the Allan Kardec Educational Society (A.K.E.S), in the introduction to the book, version of translation published by A.K.E.S.
2 The authors of the André Luiz biography on the site of the André Luiz Spiritist Center, in Guara-DF, Brazil (
http://www.cealdf.org.br), remind us that, in part, André's descriptions are similar to ones that that existed from the early times of "modern spiritualism" - for example, those registered by Andrew Jakson Davis (1826-1910), but were later forgotten."

Source: http://www.explorespiritism.com/Biographies/Andre%20Luiz.htm

In this universe (Leon Denis)


 

In this universe (Leon Denis)


"In this universe, where all beings and every created thing  are interdependent and united, like the links of an endless chain, there is space neither for the supernatural, nor for the miraculous. Laws, as rigid and inflexible as those which govern matter, rule the invisible world. To understand the admirable mechanism of this law, there is but one way, the patient study of them."

(Leon Denis )

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Spiritism Quotes (spiritism.tumblr.com)






Spiritism Quotes
 
A motivational collection of quotes in English by Allan Kardec, Chico Xavier, Andre Luiz, Joanna de Angelis, Divaldo Franco, Emmanuel and other great workers and philosophers of the Spiritism, also known as Kardecism.

This site is kept by the volunteers of Sir Arthur Conan Doyle Spiritist Society (SACDSS), a non-profit Christian Kardecist organization established in London on 1st September 2007.

SACDSS is a is a voluntary society, with the aim to promote the study of the Spiritist Doctrine in the UK in its three aspects: scientific, philosophical and religious, as codified by Allan Kardec.

Spiritism - From Wikipedia, the free encyclopedia




Spiritism
From Wikipedia, the free encyclopedia

This article is about Spiritism. For the similar movements prominent in most English-speaking countries, see Spiritualism.

Allan Kardec, The Codifier of Spiritism

Spiritism is a doctrine codifed in the 19th century by the French educator Allan Kardec. Spiritism soon spread to other countries, having today 35 countries represented in the International Spiritist Council.[1]

The first appearance of the term occurred in French literature with the publication of the The Spirits' Book. In this book, Kardec sought to distinguish spiritualism and Spiritism. Spiritualism is a name common to various religions, philosophies or other names, refers to the opposite of materialism.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

No grande adeus (Emmanuel | Chico Xavier)




No grande adeus (Emmanuel | Chico Xavier)

Cerraste os olhos dos entes amados, orvalhando-lhes o rosto inerte com as lágrimas que te corriam da ternura despedaçada, e inquiriste, sem palavras, para onde se dirigiam no grande silêncio.

Disseste adeus, procurando debalde aquecer-lhes as mãos frias, desfalecentes nas tuas, e colaste neles o ouvido atento, no peito hirto, indagando do coração prostrado a razão porque parou de bater. Entretanto, o vaso impassível nada pode informar, quanto à destinação do perfume.

Ergue as antenas da prece, no santuário da tua alma, e perceberás o verbo inarticulado dos que partiram... Saberá, então, que te comungam a dor, estendendo-te as mãos ansiosas. Arrojados à vida nova, querem dizer-te que ressurgiram. Extasiados, perante o sol que a imortalidade lhes apresenta, suspiram por transfundir a saudade e o amor, no cálice da esperança, para que não desfaleças.

Libertos do cárcere em que ainda te encontras, rogam-te a paz e conformação, para que possam, enfim, demandar a renascente manhã que lhes acena dos cimos...

Não lhes craves nos ombros a cruz da aflição, nem lhes turves a mente, no nevoeiro de pranto que te verte da angústia.

Honra-lhes a memória, abraçando os deveres que te legaram, e ajuda-os para que avancem com a tua benção, de modo a te prepararem lugar, na pátria comum, em que todos nos reuniremos um dia.

São agora companheiros que te pedem fidelidade e consolo para que te confortem, à maneira da árvore que solicita a rega da fonte a fim de preservá-la contra a secura.

Ante o fel da separação, trabalha com paciência e confia neles!...E quando a agonia da suposta distância te constrinja os refolhos do espírito, deixa que eles próprios te falem ao pensamento, sob a luz da oração.


(Do livro "Justiça Divina", Emmanuel, Francisco Cândido Xavier)

quarta-feira, 17 de julho de 2013

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Prece dos animais que partiram (Autor Desconhecido)




Prece dos animais que partiram (Autor Desconhecido)


DEUS... cheguei no paraíso dos animais! Cuida dos meus donos que foram fiéis a mim assim como fui fiéis a eles;

DEUS, meu tempo na terra foi glorioso, tive donos fiéis que me amaram incondicionalmente, cuidaram de mim como de eu fosse um humano;

DEUS, enquanto estive na terra fui muito feliz, aprendi muitas coisas como a tolerância, a paciência e o companheirismo;

DEUS, sei que meu espírito esta evoluindo, sinto saudades dos meus donos, mas sei que essa passagem foi necessária;

DEUS, agradeço a benção do Senhor, por ter colocado em meu caminho humanos tão especiais;

DEUS, sei que quando vamos à Terra, nosso tempo é menor em relação aos humanos, mas tenho certeza de uma coisa: - gostaria de passar a eternidade inteira ao lado de pessoas tão especiais;

DEUS, sei que nesse momento eles estão sofrendo por mim, mas quero lhes dizer que o amor que sinto por eles é tão grande, que não existe espaço de tempo que possa nos separar;

DEUS, peço ao Senhor que cuide deles por mim, aqueça seus corações, alivie sua dor e principalmente que nesse momento eles saibam que estou aqui mandando muita energia de amor, e que eles saibam que para quem ama os animais serão sempre pessoas protegida pelo nosso reino.

Amém!

História do Espiritismo (FEB)




História do Espiritismo


No século 19, um fenômeno agitou a Europa: as mesas girantes. Nos salões elegantes, após os saraus, as mesas eram alvo de curiosidade e de extensas reportagens, pois moviam-se, erguiam-se no ar e respondiam a questões mediante batidas no chão (tiptologia). O fenômeno chamou a atenção de um pesquisador sério, discípulo do célebre Johann Pestalozzi: Hippolyte Leon Denizard Rivail.

Rivail, pedagogo francês, fluente em diversos idiomas, autor de livros didáticos e adepto de rigoroso método de investigação científica não aceitou de imediato os fenômenos das mesas girantes, mas estudou-os atentamente, observou que uma força inteligente as movia e investigou a natureza dessa força, que se identificou como os “Espíritos dos homens” que haviam morrido. Rivail fez centenas de perguntas aos Espíritos, analisou as respostas, comparou-as e codificou-as, tudo submetendo ao crivo da razão, não aceitando e não divulgando nada que não passasse por esse crivo. Assim nasceu O Livro dos Espíritos. O professor Rivail imortalizou-se adotando o pseudônimo de Allan Kardec.

A Doutrina codificada por ele tem caráter científico, religioso e filosófico. Essa proposta de aliança da Ciência com a Religião está expressa em uma das máximas de Kardec, no livro “A Gênese”: “O espiritismo, marchando com o progresso, jamais será ultrapassado porque, se novas descobertas demonstrassem estar em erro sobre um certo ponto, ele se modificaria sobre esse ponto; se uma nova verdade se revelar, ele a aceitará”.


Fonte: http://www.febnet.org.br/blog/geral/o-espiritismo/historia-do-espiritismo/

A quem obedeces? (Chico Xavier | Emmanuel)




A quem obedeces? (Chico Xavier | Emmanuel)


“E, sendo ele consumado,
veio a ser a causa de eterna salvação para
todos os que lhe obedecem.”
— Paulo. (HEBREUS, CAPÍTULO 5, VERSÍCULO 9.)



Toda criatura obedece a alguém ou a alguma coisa.

Ninguém permanece sem objetivo.

A própria rebeldia está submetida às forças corretoras da vida.

O homem obedece a toda hora. Entretanto, se ainda não pôde definir a própria submissão por virtude construtiva, é que, não raro, atende, antes de tudo, aos impulsos baixos da natureza, resistindo ao serviço de auto-elevação.

Quase sempre transforma a obediência que o salva em escravidão que o condena. O Senhor estabeleceu as gradações do caminho, instituiu a lei do próprio esforço, na aquisição dos supremos valores da vida, e determinou que o homem lhe aceitasse os desígnios para ser verdadeiramente livre, mas a criatura preferiu atender à sua condição de inferioridade e organizou o cativeiro. O discípulo necessita examinar atentamente o campo em que desenvolve a própria tarefa.

A quem obedeces? Acaso, atendes, em primeiro lugar, às vaidades humanas ou às opiniões alheias, antes de observares o conselho do Mestre Divino?
É justo refletir sempre, quanto a isso, porque somente quando atendemos, em tudo, aos ensinamentos vivos de Jesus, é que podemos quebrar a escravidão do mundo em favor da libertação eterna.



Livro: Pão Nosso (Chico Xavier | Emmanuel)
Fonte: http://www.febnet.org.br/blog/geral/mensagens-espiritas/a-quem-obedeces/

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Sinopse das Obras de Allan Kardec





Sinopses

das Obras de

Allan Kardec


Índice



Obras Básicas

1 – O Livro dos Espíritos
2 – O Livro dos Médiuns
3 – O Evangelho segundo o Espiritismo            
4 – O Céu e o Inferno
5 – A Gênese

Obras Complementares

- A Prece segundo o Evangelho
- Conselhos, reflexões e máximas de Allan Kardec
- Instruções Práticas sobre as Manifestações Espíritas
- O Espiritismo em sua mais simples Expressão           
- O Principiante Espírita  (parte da obra “O que é o Espiritismo”)
- O que é o Espiritismo
- Obras Póstumas
- Resumo da Lei dos Fenômenos Espíritas
- Revista Espírita (doze volumes anuais – 1858 a 1869)
- Viagem Espírita em 1862 



OBRAS BÁSICAS



1 – O Livro dos Espíritos

Esta obra é a pedra fundamental da Doutrina dos Espíritos; o primeiro dos cinco livros básicos que compõem a Codificação do Espiritismo, reunindo os ensinos dos Espíritos Superiores através de médiuns de várias partes do mundo. Ele é o marco inicial de uma doutrina que trouxe uma profunda repercussão no pensamento e na visão de vida de considerável parcela da Humanidade, desde 1857, data da primeira edição francesa. Estruturado em quatro partes e contendo 1.019 perguntas formuladas pelo Codificador, aborda os ensinamentos espíritas, de uma forma lógica e racional, sob os aspectos científico, filosófico e religioso.

Independentemente de crença ou convicção religiosa, a leitura de “O Livro dos Espíritos” será de imenso valor para todos, porque trata de Deus, da imortalidade da alma, da natureza dos Espíritos, de suas relações com os homens, das leis morais, da vida presente, da vida futura e do porvir da Humanidade, assuntos de interesse geral e de grande atualidade.


2 – O Livro dos Médiuns

Esta é a segunda das cinco obras que constituem a Codificação da Doutrina Espírita. Reúne “o ensino especial dos Espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com o mundo invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os tropeços que se podem encontrar na prática do Espiritismo”. Apresenta ainda, na parte final, precioso vocabulário básico espírita.

De leitura e consulta indispensável para os espíritas, este livro será sempre uma preciosa fonte de conhecimento também para qualquer pessoa indagadora e atenta ao fenômeno mediúnico, que se manifesta crescentemente no mundo inteiro, dentro ou fora das atividades espíritas. Sendo os homens parte integrante do intercâmbio entre os dois planos da vida, o material e o espiritual, o melhor é que conheçamos, e bem, os mecanismos desse relacionamento. “O Livro dos Médiuns” é o manual mais seguro para todos os que se dedicam às atividades de comunicação com o mundo espiritual.


3 – O Evangelho segundo o Espiritismo

Terceira das cinco obras que constituem a base da Codificação Espírita, “O Evangelho segundo o Espiritismo” encerra um conjunto de ensinamentos de cunho moral transmitidos por Espíritos Superiores, organizados e comentados por Allan Kardec.

Esta obra encerra a essência do ensino moral de Jesus e por isso constitui o abrigo onde os adeptos de todas as religiões – e mesmo os que não têm religião – podem reunir-se, porquanto oferece um roteiro seguro para a nossa reforma íntima, objetivo apontado pelo Cristo como indispensável para alcançarmos a felicidade vindoura, a paz interior, essa conquista que somente a observância plena das leis divinas pode proporcionar ao Espírito na sua caminhada evolutiva para Deus.

É obra eminentemente consoladora, de cunho evangélico, que trará ao leitor a verdadeira e importante dimensão da figura de Jesus.


4 – O Céu e o Inferno

Esta é a quarta das cinco obras básicas que compõem a Codificação do Espiritismo. Seu principal escopo é explicar a justiça de Deus à luz da Doutrina Espírita. Objetiva demonstrar a imortalidade do Espírito e a condição que ele usufruirá no mundo espiritual, como conseqüência de seus próprios atos. Divide-se a obra em duas partes:

A primeira parte estabelece um exame comparado das doutrinas religiosas sobre a vida após a morte; mostra fatos como a morte de crianças, seres nascidos com deformações, acidentes coletivos e uma gama de problemas que só a imortalidade da alma e a reencarnação explicam satisfatoriamente. Kardec procura elucidar temas como: anjos, céu, demônios, inferno, penas eternas, purgatório, temor da morte, a proibição mosaica sobre a evocação dos mortos, etc. Apresenta também a explicação espírita contrária à doutrina das penas eternas.

A segunda parte, resultante de um trabalho prático, reúne exemplos acerca da situação da alma durante e após a desencarnação. São depoimentos de criminosos arrependidos, de espíritos endurecidos, de espíritos felizes, medianos, sofredores, suicidas e em expiação terrestre.


5 – A Gênese

Quinta e última das obras básicas da Codificação do Espiritismo, “A Gênese – os Milagres e as Predições segundo o Espiritismo” é um livro que, conhecido e estudado, proporciona uma oportunidade excepcional de imersão em grandes temas de interesse universal, abordados de forma lógica, racional e reveladora.

Divide-se a obra em três partes: na primeira parte analisa a origem do planeta Terra, de forma coerente, fugindo às interpretações misteriosas e mágicas sobre a criação do mundo; na segunda parte aborda a questão dos milagres, explicando a natureza dos fluidos e os fatos extraordinários contidos no Evangelho; na terceira parte enfoca as predições do Evangelho, os sinais dos tempos e a geração nova, que marcará um novo tempo no mundo com a prática da justiça, da paz e da fraternidade. Os assuntos apresentados nos dezoito capítulos desta obra têm como base a imutabilidade das grandiosas Leis Divinas.



OBRAS COMPLEMENTARES


- A Prece segundo o Evangelho

Mais do que uma simples coletânea de preces, este livro reúne o conteúdo dos capítulos 25 a 28 de “O Evangelho segundo o Espiritismo”, de Allan Kardec, analisando e detalhando a prece em seus diversos aspectos: qualidade, eficácia, ação e inteligibilidade, bem como a felicidade, a paz de espírito e a serenidade que a oração às criaturas que buscam contato com o Criados.

A prece é uma invocação, mediante a qual o homem entra, pelo pensamento, em comunicação com Deus. O Espiritismo torna inteligíveis os seus efeitos, demonstrando a sua ação direta e efetiva.
Contém, ainda, instruções mediúnicas do próprio Kardec, ditadas em 1889, sob o título "Instruções de Allan Kardec aos espíritas do Brasil".


- Conselhos, reflexões e máximas de Allan Kardec

Esta pequena obra é a reunião de algumas das passagens mais significativas dos numerosos artigos que Allan Kardec publicou na Revista Espírita de 1858 a 1869; esse trabalho, divulgado pelo Centro Espírita Lionnais Allan Kardec, na França, tem o objetivo de nos recordar alguns dos princípios filosóficos que freqüentemente o mestre gostava de frisar.


- Instruções Práticas sobre as Manifestações Espíritas

Esta é, possivelmente, a obra menos conhecida de Kardec: um manual dedicado aos médiuns. Lançada em 1858, ela serviu como uma espécie de “versão prévia” da obra definitiva “O Livro dos Médiuns”, que a substituiria, segundo as palavras de Kardec.

Todavia, o francês Jean Meyer publicou novamente estas Instruções em 1923. E no mesmo ano Cairbar Schutel traduziu-as para o leitor brasileiro. Ambos, Meyer e Cairbar, perceberam não só o grande valor histórico deste pequeno livro, mas também a importância do seu compacto e precioso vocabulário espírita – cerca de 160 verbetes –, que foi, nos parece, a primeira tentativa nesse sentido, realizada pelo próprio Codificador.

Instruções Práticas deve, portanto, ser conhecida pelo leitor espírita, por ser um dos importantes documentos históricos que marcaram o início do Movimento Espírita, além de ser de grande utilidade o seu vocabulário espírita como fonte de consulta.


- O Espiritismo em sua mais simples Expressão

Com o intuito de popularizar o Espiritismo e tomar mais fácil e ágil a sua divulgação, Allan Kardec, sem prejuízo das obras básicas da Doutrina Espírita, redigiu uma série de folhetos e os distribuiu por toda a França, em valores bastante acessíveis à população interessada. Alguns deles tiveram várias edições e alcançaram expressivo sucesso, continuando a ser reeditados mesmo após a desencarnação do Codificador. Dentre os mais conhecidos figuram: “O Espiritismo em sua mais simples Expressão” e “Resumo da Lei dos Fenômenos Espíritas”.

Em resumo, esses opúsculos tiveram o objetivo de fornecer aos interessados alguns dos conceitos fundamentais do Espiritismo, de forma compacta, de leitura simples e objetiva.


- O Principiante Espírita  (parte da obra “O que é o Espiritismo”)

Este livro, publicado pela Editora Pensamento, é uma reprodução parcial (capítulos II e III) da obra “O que é o Espiritismo”. Seu conteúdo, portanto, já se acha integralmente contido nesta última obra, no que se refere aos textos de Allan Kardec (vide sinopse da obra “O que é o Espiritismo”). Não obstante a importância do esclarecimento, nenhuma informação é fornecida pela editora nesse sentido.

Como texto adicional, a obra contém uma biografia de Allan Kardec, elaborada por Júlio Abreu Filho.


- O que é o Espiritismo

Esta obra encerra, de forma compacta, uma introdução aos conceitos do Espiritismo e ao conhecimento do mundo invisível, um resumo da Doutrina Espírita, além de esclarecimentos em relação às principais dúvidas e objeções mais comuns que se levantam em relação à Doutrina Espírita.

Divide-se em 3 capítulos: o primeiro, sob a forma de diálogos com um crítico, um céptico e um padre, traz respostas àqueles que desconhecem os princípios básicos da Doutrina, bem como apropriadas refutações aos seus contraditores; o segundo capítulo expõe partes da ciência prática e experimental, caracterizando-se como um resumo de “O Livro dos Médiuns”; no terceiro capítulo é publicado o resumo de “O Livro dos Espíritos”, com a solução, apontada pela Doutrina Espírita, de problemas de ordem psicológica, moral e filosófica.
O volume inclui também a biografia de Allan Kardec, por Henri Sausse.


- Obras Póstumas

Obra publicada após a desencarnação de Allan Kardec, apresenta, inicialmente, uma  biografia do Codificador, seguida do discurso pronunciado por Camille Flammarion junto ao túmulo de Kardec quando do sepultamento do seu corpo físico.

Reunindo importantes registros deixados por Allan Kardec, acerca de pontos doutrinários e fundamentais do Espiritismo, divide-se este trabalho em duas grandes partes: a primeira aborda assuntos como: caráter e consequências religiosas das manifestações dos Espíritos, as cinco alternativas da Humanidade, questões e problemas, as expiações coletivas, liberdade, igualdade e fraternidade, música espírita, a morte espiritual, a vida futura; a segunda parte inclui apontamentos em torno da iniciação espírita e o roteiro missionário de Kardec, assim como uma “exposição de motivos”, apresentada na “Constituição do Espiritismo”, como precioso legado do mestre lionês às sociedades espíritas do futuro.


- Resumo da Lei dos Fenômenos Espíritas

Vide “O Espiritismo em sua mais simples Expressão”.


- Revista Espírita (doze volumes anuais – 1858 a 1869)

Periódico mensal, a “Revista Espírita - Jornal de Estudos Psicológicos” foi publicada, sob a responsabilidade direta de Allan Kardec, no período de janeiro de 1858 a março de 1869, ano de sua desencarnação, passando, a partir de então, a ser administrada pelos seus continuadores até os nossos dias. Os exemplares referentes aos anos de 1858 a 1869 foram editados em língua portuguesa, agrupados em doze volumes anuais.

Esta importante revista foi utilizada por Allan Kardec como uma espécie de tribuna livre, na qual sondava a reação dos homens e a impressão dos Espíritos acerca de determinados assuntos, ainda hipotéticos ou mal compreendidos, enquanto lhes aguardava a confirmação, através do critério da concordância e da universalidade do ensino dos Espíritos.

Inúmeros capítulos dos livros básicos da Codificação, na íntegra ou com pequenas modificações, vieram à luz por meio da “Revista Espírita”. Através de suas páginas admiráveis desfilam os assuntos mais diversos, desde a fenomenologia mediúnica nos seus variados matizes, até as dissertações da mais pura moral evangélica, a vida no mundo espiritual, a sorte futura reservada aos que praticam e aos que não praticam o bem, a justiça da reencarnação, a bondade e a misericórdia divinas, enfim, os princípios fundamentais em que se assenta o Espiritismo.


- Viagem Espírita em 1862

Esta obra é o relato da viagem realizada pelo Codificador no ano de 1862, que o levou a mais de vinte cidades, nas quais presidiu aproximadamente 50 reuniões organizadas pelas entidades espíritas das localidades visitadas.

Para Kardec essa viagem teve a finalidade de avaliar a situação em que se encontrava a Doutrina Espírita e levar ao conhecimento geral as orientações necessárias aos organizadores dos diferentes Centros.

Nos três discursos pronunciados por Kardec, em Lyon e Bordeaux, foram feitas valiosas considerações sobre a conduta dos espíritas, as atividades dos grupos e importantes temas que envolvem os adeptos.
O Codificador oferece também instruções particulares aos grupos em resposta a diversas questões propostas e, por fim, um Projeto de Regulamento para o uso de grupos e pequenas Sociedades Espíritas.